fbpx
Futebol

XV planeja reforços: ‘Um ou dois atletas, no máximo’

Ricardo Moura comenta possibilidade de contratações para próxima fase do Estadual

*Capa: Arquivo/XV de Piracicaba

Perto de garantir a classificação antecipada para as quartas de final do Campeonato Paulista da Série A2, a diretoria do XV de Piracicaba analisa o mercado da bola em busca de reforços para a próxima fase da competição estadual. As oito equipes que avançarem para o mata-mata poderão substituir no máximo quatro nomes da lista principal, composta por 26 atletas inscritos no torneio. O prazo final para as trocas é dia 31 de março. Em entrevista à Rádio Jovem Pan News, o diretor de futebol do Nhô Quim, Ricardo Moura, comentou sobre a busca por novos jogadores.

“A gente conversa bastante, quase todos os dias falamos sobre isso. Sabemos o elenco que temos hoje e as dificuldades que encontramos. Precisamos de um a dois jogadores, no máximo, para a próxima fase. Não contávamos com tantas lesões e acabamos gastando um pouquinho a mais do que a gente deveria. Consequentemente, para a segunda fase não temos tanto dinheiro assim. Teremos que ‘chorar’ um pouquinho para o Arnaldo (Bortoletto, presidente), mas sabemos da necessidade de reforços e estamos procurando jogadores”, disse Moura, sem revelar quais setores devem ser reforçados.

“Estamos conversando, mas ainda não temos uma data (para anunciar reforços), pois alguns jogadores que nos interessam estão jogando, disputando campeonatos. Precisamos de jogadores que estão atuando. Não adianta trazer quem está parado, pois não vai nos ajudar. É preciso acabar a competição que estão jogando para a gente sentar e conversar”, concluiu o dirigente. O XV de Piracicaba volta a campo no próximo sábado (14), às 15h, para encarar o Taubaté. A partida, que é válida pela 12ª rodada da Série A2 do Paulista, será realizada no estádio Joaquim de Morais Filho, em Taubaté.

Com cinco jogadores suspensos (Diego Jussani, Douglas Marques, Jéfferson Feijão, Mota e Raphael Macena), o técnico Tarcísio Pugliese terá que mexer mais uma vez na equipe titular. “Estamos tendo essa dificuldade de não conseguirmos repetir a mesma formação. São muitas mudanças e isso vai gerando um desgaste mental grande. Por outro lado, estamos encontrando soluções para os problemas que têm surgido e isso nos dá opções para eventuais situações que possam ocorrer”, disse o treinador quinzista.

Voltar