fbpx

Líder Esportes

Futebol

XV paga dívida com búlgaros e encerra ‘caso Paulinho’

Diretoria estuda processar o atacante pela transferência fracassada em 2012

Celso Christofoletti, presidente do XV de Piracicaba
Celso Christofoletti: 'Meu maior objetivo é manter o XV de Piracicaba vivo' (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Em coletiva realizada no estádio Barão da Serra Negra, o XV de Piracicaba anunciou nesta segunda-feira (14) o pagamento da dívida ao PFC Ludogorets, referente à transferência fracassada do atacante Paulinho ao clube búlgaro, em 2012. A informação foi antecipada na última quinta-feira (10) pelo LÍDER. Segundo a diretoria, o valor total pago foi de R$ 607 mil. A conta inclui 90 mil euros (R$ 385 mil) pela condenação ao clube (R$ 210 mil) e ao atleta (R$ 90 mil), sendo a dívida corrigida em 5% ao ano, mais as pendências tributárias (Imposto de Renda e IOF), custas do processo e com advogados especialistas em direito Fifa.

Duo Imóveis

Na entrevista, o presidente Celso Christofoletti confirmou o adiantamento de R$ 130 mil da cota destinada pela FPF (Federação Paulista de Futebol) pela participação na Série A2 do Estadual, em 2019. “Foram 20 dias desde que recebemos o comunicado da Fifa com a condenação em última instância. Junto com a comunidade, conselho, diretoria e torcida, pensamos o que seria melhor para o clube: ser rebaixado para a Série A3 ou arrumar o dinheiro para pagar. Claro que a decisão foi buscar recursos para fazer o pagamento. Não pagamos antes porque havia como recorrer”, disse o mandatário.

Leia mais: XV terá que pagar 50 mil euros para time búlgaro

Opinião: Como estão as finanças do XV de Piracicaba

“Fizemos o pagamento e enviamos para a Fifa, entre hoje e amanhã (15) aguardamos o encerramento do processo. A FPF pediu para divulgarmos isso: eles anteciparam a cota porque é o XV. Nós temos balanço auditado, as contas todas em dia. Não temos nenhuma reclamação trabalhista em nossa gestão. É obrigação nossa, eu sei, mas essa obrigação nós fizemos. Foi uma exceção da FPF. A diferença (do valor pago) foi conseguida pelo trabalho árduo da diretoria, pelo esforço nosso e pelo apoio dos quinzistas. Meu objetivo principal é manter o XV vivo. Já digo que vamos ter dificuldade na Copa Paulista”, afirmou Christofoletti, que não confirmou se é candidato à reeleição em novembro.

Ramon Bisson Ferreira, advogado do XV de Piracicaba

O advogado do XV de Piracicaba, Ramon Bisson, participou da entrevista coletiva (Foto: Líder Esportes)

Leia mais: XV levanta verba e vai pagar clube da Bulgária

Opinião: Bulgária, Fifa, Paulinho e XV: memórias de 2012

O advogado do clube, Ramon Bisson Ferreira, participou da coletiva e deu detalhes sobre o processo. “O Ludogorets ingressou na Fifa buscando o ressarcimento pelos prejuízos em decorrência da transação do Paulinho. Nós contratamos advogados especializados em direito Fifa. Inicialmente, o pedido foi mais de 200 mil euros, além de uma suspensão do Paulinho por seis meses e o fechamento de duas janelas de transferência para o XV. Nós conseguimos reduzir o valor para 50 mil euros ao XV e 21 mil euros ao Paulinho, sendo o XV solidário, como juridicamente se diz, mas sem novas sanções. O clube continuou buscando prazos, tentamos o parcelamento três vezes, mas isso não foi aceito”, explicou.

PAULINHO

De acordo com o advogado, uma vez que a dívida foi paga, cessando a possibilidade de rebaixamento para a Série A3, o XV de Piracicaba está estudando processar Paulinho. “Naquele momento, nós não estávamos pensando nessa questão. Eu tive uma reunião com o Celso, Ricardo (Moura, vice-presidente) e Moio (Antônio Vilson Daniel, gestor financeiro do XV). Quando o XV foi notificado que teria de pagar pelo Paulinho, ele também recebeu a notificação. Agora que fizemos o pagamento, a ideia é sentar para definir a situação. É possível sim processar o Paulinho. Com o pagamento feito, vamos definir isso”, garantiu Ramon.

Voltar