fbpx

Líder Esportes

Futebol

XV levanta verba e vai pagar clube da Bulgária

Alvinegro recebe empréstimo de empresário e adiantamento de cota via FPF

Celso Christofoletti, presidente do XV de Piracicaba
O presidente Celso Christofoletti é cauteloso e evita falar sobre a dívida (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

O XV de Piracicaba já tem o dinheiro necessário para quitar a dívida com o PFC Ludogorets, devido ao fracasso da negociação envolvendo o atacante Paulinho, em 2012. O time piracicabano trabalhou para levantar mais de R$ 500 mil nas últimas duas semanas. A reportagem apurou que um empresário ligado à Raízen emprestará ao clube cerca de R$ 415 mil. A diretoria do Alvinegro solicitou ainda o adiantamento de R$ 130 mil à FPF (Federação Paulista de Futebol), referente à participação na Série A2 do Campeonato Paulista, em 2019. Campanhas realizadas por torcedores também contribuíram para saldar as dívidas.

Duo Imóveis

O depósito poderá ser feito nesta sexta-feira (11) ou no início da próxima semana. O montante inclui cerca de R$ 210 mil correspondentes a quatro das cinco parcelas restantes de indenização ao time búlgaro, mais R$ 125 mil que caberiam a Paulinho, porém, segundo o XV, o jogador recusou-se a pagar pela punição aplicada a ele. Além disso, o XV de Piracicaba deverá arcar com multas por não quitar a dívida em prazo hábil, impostos e as custas do processo, o que eleva a dívida total para a casa dos R$ 500 mil.

O presidente Celso Christofoletti não concedeu entrevista para a imprensa e não confirma a informação. Após o Alvinegro ser notificado de que não caberia mais recurso à determinação imposta pelo Conselho Disciplinar da Fifa, o mandatário pronunciou-se apenas via assessoria de imprensa, de maneira cautelosa. “Estamos, com muito afinco, em busca dos recursos necessários para quitarmos essa dívida. Nesse intuito, entramos em contato com possíveis parceiros e estamos na expectativa de juntarmos o montante necessário para o débito ser quitado até o próximo dia 15, que é a data limite”, limitou-se a dizer Christofoletti, em nota enviada nesta quinta-feira (10).

PUNIÇÕES

A decisão da Fifa foi comunicada ao Alvinegro no último dia 19 de abril. Emprestado em julho de 2012 ao PFC Ludogorets, em transação que não envolveu dinheiro, mas previa a opção de compra por aproximadamente R$ 2 milhões, Paulinho não cumpriu o acordo com os búlgaros e voltou ao Brasil menos de uma semana após a transferência, alegando maus-tratos e que a equipe do Leste Europeu não havia cumprido o que havia sido combinado ao longo da negociação.

O documento enviado pela Fifa ao XV de Piracicaba previa punições severas ao clube, caso a dívida não fosse quitada no período indicado. Além da multa, o Nhô Quim poderia perder três pontos na Série A2 do Campeonato Paulista 2019, e inclusive ser automaticamente rebaixado para a Série A3 do próximo ano. Em caso extremo, conforme consta na carta da Fifa, o Comitê Disciplinar da Fifa poderia excluir o Brasil da Copa do Mundo da Rússia, na hipótese de a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) não acatar a decisão. Mas, apesar de indenizar os búlgaros, o XV continua em situação delicada. Apenas no primeiro semestre, o clube fechou com déficit financeiro de R$ 800 mil.

Voltar