fbpx

Líder Esportes

Futebol

XV deve sofrer reformulação no 2º semestre

Confira a situação de cada jogador; Evaristo Piza se diz disposto a seguir

Everton, atacante do XV de Piracicaba
O atacante Everton dificilmente seguirá no clube piracicabano (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

Faltou pouco para o acesso, mas a permanência do XV de Piracicaba na Série A2 do Campeonato Paulista deve gerar uma grande reformulação no elenco para a sequência do ano. Fora da elite do futebol estadual, o Alvinegro deve reduzir os gastos para o segundo semestre de 2018. Embora ainda não tenha se posicionado, a diretoria deve definir nos próximos dias a liberação de uma parte do elenco, já que a maioria dos contratos têm vencimento em abril. Entre eles, o goleiro Samuel Pires; os laterais Oziel e Pedrinho; os zagueiros Hugo, Jean Pablo, Marcondes e Vinícius Simon; o volante Jonathan Costa; o meia Léo Carvalho; e os atacantes Éverton, Fabinho, Jobinho e Maikon Aquino.

Duo Imóveis

O goleiro Luiz Fernando e os meias André Cunha e Rafael Rosa, também com vínculos até abril, estão entregues ao departamento médico e continuam no Alvinegro durante o tratamento. Os contratos do zagueiro Doni, os volantes Bruno Formigoni e Gilson, o meia Norton e o atacante Rafael Gomes valem até maio. O vínculo do goleiro Jean Carlos, que foi contratado para substituir Luiz Fernando, mas não foi inscrito na competição, se encerra em junho. O lateral-direito Danilo Melega possui vínculo até novembro e deve permanecer para a disputa da Copa Paulista. O lateral-esquerdo Rubens Carvalho, o volante Fraga e o atacante Bruninho, com contratos mais longos, também devem integrar o elenco para a disputa da competição no segundo semestre.

EVARISTO PIZA

A situação da comissão técnica também deverá ser definida em breve. Evaristo Piza tem contrato até o dia 10 de abril e ainda não sabe se permanecerá no cargo. No comando do Alvinegro, foram 38 jogos (Copa Paulista e Série A2), com 18 vitórias, 11 empates e nove derrotas, com aproveitamento de pontos de 57,01% (de 114 disputados, somou 65 pontos).

“É difícil eu falar isso neste momento. Meu contrato termina dia 10 de abril. Gosto muito do XV, desde quando cheguei sempre procurei fazer o meu melhor. Envolve o que você trabalha a longo prazo: vai conhecendo o clube, buscando a identidade, ganhando respeito de diretoria, imprensa e torcida. Você consegue transmitir isso para um atleta, desde a preparação e a montagem de elenco, mantendo 50% a 60% dos jogadores, para buscar o acesso no ano seguinte. Tudo isso passa pela minha cabeça”, disse Piza.

“Todas as equipes que planejaram dessa forma atingiram o objetivo. O Luis Carlos Martins (treinador) ficou dois anos no São Caetano para subir no terceiro. Muitas vezes, você não atinge o objetivo e parece estar tudo errado, mas não funciona assim. Vamos analisar o que está certo e errado. Se a diretoria achar que a minha continuidade para o clube será boa, estarei à disposição como sempre estive”, finalizou.

Voltar