fbpx
Futebol

‘Vou jogar com muita vontade’, diz André Cunha

Meia enfrenta XV pela 1ª vez, diz não ter mágoas e pretende jogar até 40 anos

André Cunha, jogador do XV de Piracicaba
André Cunha teve passagem marcante pelo XV e virou ídolo dos torcedores (Foto: Arquivo Pessoal)

A partida deste sábado (1º), às 16h, contra o Penapolense no Barão da Serra Negra, pela Copa Paulista, marca o reencontro de um dos ídolos recentes do XV de Piracicaba com a torcida piracicabana. O experiente André Cunha, que aos 37 anos defende as cores do Penapolense, enfrentará pela primeira vez o Nhô Quim, desde a ‘‘tumultuada’ saída em janeiro de 2013. Na ocasião, André Cunha tinha contrato com o Alvinegro até o final do Paulistão, mas não fazia parte dos planos do treinador Sérgio Guedes e acabou rescindindo seu vínculo com o clube.

Pelo XV de Piracicaba, André Cunha conquistou o acesso para a Série A1 do Campeonato Paulista e o título da Série A2, em 2011. Por telefone, o jogador atendeu a reportagem do LÍDER e falou sobre o atual momento na equipe do Penapolense, onde vive uma fase de artilheiro, com seis gols marcados na Copa Paulista. “O momento é muito bom, fizemos uma ótima primeira fase, seguindo na liderança do início ao fim. Estou em um bom momento, fazendo gols e ajudando a equipe. Iniciamos perdendo na segunda fase, mas já nos reabilitamos e temos um jogo difícil contra o XV”. Confira a entrevista:

‘Será uma emoção diferente, especial, mas serei profissional como sempre fui’

LÍDER: Qual é a sua situação contratual com o Penapolense? Aos 37 anos você já pensa em aposentadoria?
Eu tenho contrato com o Penapolense até o final da Série A2 do Campeonato Paulista, em 2017. Para falar a verdade, ainda não penso em parar, pois minha condição física está boa e tenho suportado bem os jogos e treinamentos. Vou dar continuidade pelo menos até o final do contrato, mas pretendo jogar até os 40 anos.

LÍDER: Em Penápolis, você vive boa fase e tem marcado gols. Recebeu assédio de outras equipes?
Não tanto (risos). Na verdade, houve apenas uma sondagem do futebol albanês, mas acabou não dando certo.

LÍDER: Antes de acertar com o Penapolense, seu nome foi sondado pelo XV de Piracicaba. Houve algum contato com o clube?
Não, nenhum. Foi apenas ventilado meu retorno ao XV nas redes sociais na época em que o clube estava passando por eleições. Eu cheguei a acompanhar os comentários, mas nunca houve proposta ou contato algum por parte do XV de Piracicaba.

LÍDER: Você tem um carinho muito grande do torcedor piracicabano. O que representa voltar a atuar em Piracicaba contra o XV?
É uma situação estranha para mim. É a primeira vez que vou enfrentar o XV depois de tudo que passei aí em Piracicaba. Fui bem acolhido pela cidade, torcida e tenho um carinho e respeito muito grande pelo clube. Saí de uma maneira que não gostaria de ter saído, todos sabem como foi, mas não guardo mágoa nenhuma. Será uma emoção diferente, especial, mas serei profissional como sempre fui em toda minha carreira. Vou defender o Penapolense e jogar com muita vontade no Barão da Serra Negra.

Voltar