fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Veterano, Mangue é campeão brasileiro: ‘Muito sacrifício’

Experiente lutador piracicabano fatura três medalhas na competição nacional

Mangue Seco contou com o auxílio de Erlo Gnutzmann na preparação física (Foto: Líder Esportes)

Vitor Wagner, o Mangue Seco, trouxe para casa três medalhas da 29ª edição do Campeonato Brasileiro de Kickboxing, que foi realizado no último fim de semana, em Sorocaba. O experiente lutador piracicabano, de 54 anos, conquistou o ouro nas modalidades point fight e kick light, e ainda faturou o bronze no light contact, todos válidos pela categoria máster 74 kg. Apesar dos resultados, o atleta afirmou que o que mais o motiva é a vitória pessoal na preparação para o evento.

“As medalhas são como um reconhecimento pelo trabalho: perdi peso e treinei muito. Eu queria estar lá e poder lutar com parceiros de outros estados, como Bahia, Maranhão e Piauí, é muito satisfatório. O ouro tem um gosto especial, claro, mas o que mais motiva é competir. Em 2020, pode ser o meu último ano, porque faço 55 anos. Meu sonho sempre foi competir até os 60 anos, mas depende muito de condicionamento e do próprio regulamento”, disse Mangue, que é treinado por Marlon Pedroso (boxe) e Wilson Teodoro (kickboxing).

A preparação física ficou a cargo do professor Erlo Gnutzmann, na AFPMP (Associação dos Funcionários Públicos Municipais de Piracicaba). A estratégia foi bastante elogiada pelo atleta. “Sofria muito para chegar bem, mas fiz uma preparação muito boa dessa vez, estava em boas condições. Em casa, minha esposa comentou que eu estava bem humorado (risos). A parceria com o Erlo foi muito importante”, afirmou o lutador. “O pessoal pergunta até quando vou lutar, alguns dizem que vou chegar de cadeira de rodas lutando. Levo na esportiva, mas exige muito sacrifício”.

PLANEJAMENTO

A primeira orientação dada por Gnutzmann foi para Mangue Seco procurar um nutricionista. “Ele precisava de um cardápio adequado para evitar que a perda de peso fosse drástica na véspera da competição. Ele desidratava e o tempo de recuperação era muito curto, o que afeta o comportamento e, claro, o desempenho. O esporte exige uma estratégia e exige um planejamento”, afirmou o preparador. “O período de recuperação também é muito importante. No esporte individual, uma lesão não permite que você poupe. Tem que chegar 100% sempre”, completou.

Na atual temporada, Mangue Seco deve participar ainda da Copa do Brasil, que será realizada no Paraná, e do Campeonato Sul-Americano, no Peru. A prioridade é total para o torneio continental. “Já estou focado no Sul-Americano. No Brasileiro, recebi um incentivo muito importante do Sérgio (Guarnieri, empresário), que foi uma pessoa que Deus colocou em meu caminho”, afirmou o lutador. O empresário arcou com as despesas do atleta em Sorocaba.

Mangue e Erlo: preparação resultou em duas medalhas de ouro no Brasileiro (Foto: Líder Esportes)

Voltar