fbpx
Opinião

Surpreendente

O XV de Piracicaba realmente vem surpreendendo na edição 2017 da Copa Paulista. Após iniciar a competição sem ter feito um planejamento, contratando treinador e montando a equipe com o campeonato em andamento, o time se ajustou, ‘deu liga’, e conquistou a confiança do torcedor. Foram dez jogos de invencibilidade, até o bom momento ser quebrado com uma derrota para o time juvenil do São Paulo. Na sequência, um empate contra a Portuguesa no Canindé, sofrendo muita pressão no segundo tempo da partida.

As críticas começaram a ganhar força. Parecia que ninguém mais prestava. O Alvinegro vinha de três jogos sem vencer em casa. Com a classificação em jogo e o time pressionado pela vitória, o XV realizou uma partida digna de muitos aplausos no Barão da Serra Negra. Uma goleada por 4×0 sobre a Lusa, que só não foi maior porque o time administrou o jogo durante o segundo tempo. Óbvio que o torcedor se animou. Agora vai. Mas, não foi. Foram mais três jogos sem vitória e parecia que a goleada tinha sido um jogo atípico.

O Alvinegro precisava vencer o São Caetano para avançar à semifinal da Copa Paulista. Era praticamente uma briga de Davi e Golias, financeiramente falando, já que se somássemos os salários de dois ou três jogadores do Azulão, daria para pagar a folha salarial inteira do XV. Com dinheiro, a equipe do ABC manteve a base que conquistou o acesso e foi campeã da Série A2 do Paulista em 2017, enquanto o Alvinegro pouco investiu e ainda fez muitos cortes financeiros. Para a decisão, o Nhô Quim ainda tinha dois jogadores suspensos e alguns titulares em tratamento no departamento médico durante toda a semana para conseguirem entrar em campo. O time precisava de uma força extra para vencer: o apoio da torcida. E o que acontece antes da partida? Muita chuva, que acaba afastando os torcedores não tão fanáticos. O cenário pintava para dar tudo errado.

E não é que o XV surpreendeu de novo? A entrega em campo e o desejo de vencer foram determinantes para que o adversário levasse pouco perigo ao gol quinzista. O sistema defensivo ganhou praticamente todas as bolas. Assim como na partida contra a Portuguesa, a equipe fez uma de suas melhores exibições na Copa Paulista. Não é só o torcedor que sofreria com uma eliminação. Por amor ao clube, provavelmente sim. As rescisões contratuais começariam mais cedo e alguns jogadores não teriam para onde correr. O XV paga pouco, mas paga. O espírito guerreiro demonstrado em campo é de quem respeita de onde vem o dinheiro para comprar a comida que vai à mesa.

Faltam quatro jogos para o título. Que o mesmo espírito permaneça!

Marcelo Sá é radialista e jornalista na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Voltar