fbpx
Taekwondo

Soberana, Hellorayne ‘manda’ na categoria

Atleta local vence Grand Slam pela sétima vez; Marreta bate na trave

Hellorayne Paiva, atleta de taekwondo da Dojan Nippon
Hellorayne é titular da seleção brasileira pela nona vez em sete temporadas (Foto: Líder Esportes)

Hellorayne Paiva deu a ela mesma um ‘presentão’ de aniversário neste domingo (20). No dia em que completou 26 anos, a taekwnondista de Piracicaba conquistou a vaga de titular da seleção brasileira adulta +73 kg. Atleta militar da Marinha do Brasil, Hellorayne alcançou a titularidade pela sétima vez nos últimos nove anos – recorde na categoria. A vaga foi conquistada em Vitória (ES), durante o Grand Slam organizado pela CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo). Além dela, Joelmir Marreta também lutou no Espírito Santo e ficou com o posto de suplente na categoria -87 kg.

Novidade na categoria, Marreta lutou bem e quase ficou com o título em Vitória (ES)

Para conquistar a vaga, Hellorayne venceu as três lutas que fez no Ginásio do Tancredão. O primeiro combate foi dramático: após sair perdendo por 4×0 de Viviane Soares, a atleta piracicabana encontrou a distância e usou o talento para virar para 7×4. Nas semifinais, outra luta complicada: vitória no golden point contra Vanessa Messina. A decisão da categoria colocou frente a frente a titular de 2015 contra a reserva imediata, Gabriela Siqueira. E, mais uma vez, deu Hellorayne: 4×1 e vaga garantida mais uma vez.

“O sentimento é de felicidade em dose dupla. O objetivo foi alcançado, garanti a classificação para o Pan-americano da modalidade, competição em que já foi medalha de bronze e agora vou em busca do ouro. Tem muito trabalho a ser feito e corrigido, vou me entregar ao máximo e suar muito nos treinos para conseguir. Agora é continuar com o mesmo foco, pois o ano apenas está começando”, disse a atleta.

Joelmir Marreta chegou perto de repetir a façanha de Hellorayne. O atleta de Piracicaba derrotou o experiente Douglas Marcelino na estreia, por 5×4. A segunda luta foi um massacre: 10×2 contra Karpovio Dosa. Na decisão, Marreta travou nos dois primeiros rounds um duelo equilibrado com o capixaba Lucas Ferreira, líder do ranking nacional, mas ‘bobeou’ no último assalto e acabou perdendo por 16×8. “Infelizmente, um erro acabou comprometendo a luta. Mas fica o aprendizado. A vaga de suplente vai me ajudar muito”, afirmou Marreta.

Voltar