fbpx
Futebol

São Caetano e XV de Piracicaba travam batalha final

Alvinegro tenta encerrar ano com título; Azulão joga pela taça e para contornar crise

O goleiro Luiz Fernando sonha em levantar a taça com a camisa do Alvinegro (Foto: Michel Lambstein)

Pelo segundo jogo da final da Copa Paulista, São Caetano e XV de Piracicaba voltam a campo neste sábado (16), às 17h, no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, em busca do título da competição estadual. O Azulão, que venceu o primeiro confronto por 3×2, precisa apenas de um empate para levantar a taça. O Alvinegro necessita vencer o duelo por dois gols de vantagem para conquistar o bicampeonato. Vitória do XV com diferença mínima leva a decisão para os pênaltis.

O campeão receberá a premiação de R$ 250 mil e terá o direito de escolher entre uma vaga para a Copa do Brasil ou para a Série D do Brasileiro, ambas competições em 2020. O vice-campeão ficará com a vaga remanescente e o prêmio de R$ 150 mil. Com salários atrasados, os atletas do São Caetano cobram um posicionamento da diretoria e chegaram a ameaçar não entrar em campo na final. Na última quarta-feira (13),, representantes do Sindicato dos Atletas conversaram com os jogadores do Azulão no Anacleto Campanella.

Kadu deve ser a única novidade na equipe titular do XV de Piracicaba para a partida contra o São Caetano

“Pedimos para que viessem nos ajudar, para poder ir para cima do presidente (Nairo Ferreira) e ver o que eles podem fazer pela gente. Queremos que nos paguem sexta-feira (15), tudo, não é uma parte ou um mês, e deixar a outra parte para sei lá quando. Estamos cansados de mentiras. Temos várias alternativas: entrar atrasado para o jogo ou com a camisa ao contrário, não treinar e inclusive não jogar”, disse o zagueiro Sandoval, em entrevista ao Diário do Grande ABC.

Apesar do placar adverso, o Nhô Quim vive situação mais confortável nos bastidores, focando apenas na conquista do título. Capitão da equipe, o goleiro Luiz Fernando comentou em entrevista coletiva sobre a possibilidade de levantar o troféu. “Seria um privilégio essa oportunidade de levantar a taça de campeão como capitão da equipe, em caso de conquista. Isso em um clube como o XV, com mais de 100 anos de história. É algo que não tem preço, eu quero e busco muito”, disse.

“O ano é muito positivo para o XV, pois chegamos na semifinal do Paulista (Série A2). Por detalhes, minutos, não conseguimos o acesso. Agora, estamos em uma final de campeonato, o que não é fácil, mas conseguimos, com muito trabalho e dedicação. O Tarcísio Pugliese (técnico) é uma cara sensacional, que tem feito um trabalho incrível com a gente, tanto na parte tática quanto na gestão do grupo. Para concluir um ano como esse, seria ideal o título”, concluiu Luiz Fernando.

ESCALAÇÃO

Após cumprir suspensão automática, o atacante Kadu está liberado para o jogo e deve ser a única novidade no Nhô Quim, substituindo Luizinho. O zagueiro Douglas Marques (fratura no pé esquerdo) e o lateral-esquerdo Anderson Santos (entorse no tornozelo) estão vetados pelo departamento médico. O volante Bruno Lima (dores na coxa) é dúvida para a partida. O XV de Piracicaba deve entrar em campo com Luiz Fernando; Jéfferson Feijão, Gilberto Alemão, Paulão (Robertinho) e Peri; Fraga, Wellington Simião e Cassio Gabriel; Misael, Kadu e Raphael Macena.

Voltar