fbpx
+ Esportes

Revigorada, nutricionista é pódio na primeira corrida

Aos 57 anos, Lourdes Bicudo decide correr, esbanja saúde e vira exemplo

Nas primeiras corridas que disputou, Lurdinha chegou duas vezes ao pódio (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Há quase dois meses, Lourdes Campos Bicudo recebeu um convite inesperado para participar da 10ª Corrida Turística de Piracicaba. A prova, organizada pela Chelso Sports, seria a primeira da nutricionista de 57 anos. Associada do Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo, Lurdinha é disciplinada e assídua no clube, onde faz um ‘pouco de tudo’: funcional, ginástica aeróbica, jump, pilates, pump… Pela idade, ela também começou a academia, para fortalecer a musculatura. O resultado foi surpreendente.

“Surgiu a corrida turística e a Marilia (Pires) e as outras professoras incentivaram a gente para correr. Eu tinha a maior curiosidade para saber qual era a adrenalina de uma corrida, mas não queria ir. Pensava: ‘Não dá, não vou conseguir correr 5 km’. Por fim, formamos um grupo aqui no clube e acabei participando. Algumas amigas corredoras me deram forças e falaram que, se eu não conseguisse, poderia caminhar numa boa. Então, eu fui, corri e deu pódio (risos)”, relatou.

Aos 57 anos, a associada do CCRCC esbanja vigor físico (Foto: Líder Esportes)

Lurdinha ficou com o terceiro lugar na categoria 50 a 59 anos. O desempenho, segundo ela, foi mais do que satisfatório. “Não esperava nem que ia chegar com fôlego (risos). Valeu a pena, é fruto de um trabalho de condicionamento e só consegui porque gosto do que faço e sou muito disciplinada. Cheguei super bem, foi muito legal. Correr é uma experiência fantástica”, contou a nutricionista. Na adrenalina do pós-prova, empolgada, ela rapidamente aceitou o contive para participar do Circuito Nova Odessa Running, 15 dias depois. “Fui lá e peguei pódio de novo (risos)”.

De uma prova para a outra, o tempo também melhorou. Em Piracicaba, Lurdinha correu na casa dos 26min; em Nova Odessa, a marca caiu para a casa dos 24min. “Desde a primeira corrida, a Marilia ressaltou a importância de cuidar da saúde e eu estou me cuidando bastante. Correr é uma brincadeira para mim. Quando cheguei em Nova Odessa, pensei: ‘O que estou fazendo aqui?’ Eu tinha levantado às 5h da manhã num frio que a sensação era 0º C. É incrível: as pessoas são solidárias, não nos deixam parar, nos motivam. Isso gera muita amizade”, afirmou.

Perguntada sobre as próximas metas, a associada do Cristóvão Colombo não faz promessas, mas enaltece o trabalho das professoras do clube, Andresa Nastacia, Marilia Pires e Talita Oliveira. “Estou deixando rolar (risos). Tem uma corrida próxima e quero melhorar o tempo. Nunca imaginei que ia correr com 57 anos, é uma conquista e superação. Conheço pessoas que, com essa idade, estão enfrentando problemas. A atividade física é muito importante e as professoras têm um papel especial. Elas nos desafiam, nos estimulam com as nossas metas. Não fosse por elas, eu não teria chegado”, finalizou Lurdinha.

Voltar