fbpx
Judô

Retomada exige adaptações para crianças e adultos

Trabalho é de recuperação de condicionamento, habilidades e envolve ludicidade

Beninho Mattos, treinador de judô da academia Heisei
Beninho Mattos destaca a necessidade de adaptações na retomada aos treinos de judô (Foto: Líder Esportes)

A Academia Heisei de Judô retomou as atividades presenciais há um mês, seguindo o protocolo da Federação Internacional de Judô, com aulas de 45 minutos para crianças e uma hora para os adultos. A retomada requer uma série de adaptações e, por enquanto, as competições ficam em segundo plano. De acordo com o sensei Beninho Mattos, o primeiro mês serviu para iniciar a recuperação do condicionamento físico, resgatar a habilidade para executar movimentos e desenvolver o raciocínio rápido.

“São os nossos objetivos. Entramos no segundo mês com as atividades presenciais e estamos tomando todas as providências possíveis: disponibilizamos álcool em gel, tapete sanitizante e treinamos com a distância recomendada entre os alunos. Com as crianças, não realizamos lutas. As atividades são lúdicas, brincadeiras que vão ajudá-los no judô. Há alguns casos que permitem as lutas, como os irmãos que vivem juntos. De qualquer forma, respeitamos os protocolos. O importante é que eles se movimentem”, afirmou Beninho, que elencou os prejuízos em virtude do período inativo no dojo.

“Isso é algo que temos conversado com os pais, o maior problema é com as crianças que engordaram muito, o quimono já não serve mais. O sedentarismo começa a gerar problemas e não apenas do ponto de vista físico, mas também no convívio social, o que ajuda a derrubar a autoestima. Nosso trabalho funciona com a conquista de espaço e isso contribui para melhorar o ânimo. Em relação às atividades físicas, também é importante que as crianças tenham a sensação de que as coisas estão começando a voltar ao normal”, disse o treinador.

PROGRAMAÇÃO

Perguntado sobre a programação para o fim de ano, que tradicionalmente reúne o exame de faixas e a Copa Heisei, torneio que é realizado em parceria com o Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo, Beninho confirmou que a prioridade agora não são os eventos. “A pandemia alterou tudo. Não apenas a nossa programação, mas de todas as academias. A FPJ (Federação Paulista de Judô) tem feito alguns torneios virtuais, com demonstração de golpes a partir de uma lista, mas não é algo que valha a pena para nós. O foco é o condicionamento para os adultos e trabalhar com a formação para as crianças”, completou o sensei.

Voltar