fbpx

Líder Esportes

Ginástica Rítmica

Referência, Corpo Livre conserva valores após 26 anos

Idealizada a partir de um sonho, academia mantém a filosofia de ensinar com felicidade

Hélio Sacconi e Neusa Destro Sacconi, fundadores da Academia Corpo Livre (Foto: Líder Esportes)

Berço da ginástica em Piracicaba, a Academia Corpo Livre completa 26 anos de fundação em 2019 conservando os valores idealizados em outubro de 1993, quando Hélio Sacconi, ex-goleiro do XV, e Neusa Destro Sacconi comandavam a seleção piracicabana nos Jogos Regionais. O que hoje é realidade começou a ser construído, simbolicamente, na infância de Neusa. Desde menina, ela conta que sonhava com crianças dançando descalças. “Sou neta de fazendeiros e cresci brincando e fazendo ginástica em galhos, nas árvores. Eu ficava muito descalça e sempre gostei muito de dançar”.

A contragosto da família, Neusa se virou como pôde para cursar educação física. Depois, virou profissional de basquete em Araraquara, o que ajudou a pagar o curso. Natural de Itápolis, ela foi a primeira professora da área na cidade. Na faculdade, em São Carlos, conheceu Hélio. Foi lá que o sonho começou a deslanchar. “A minha maior experiência, lógico, era no futebol, fui profissional por 12 anos, mas eu sempre gostei de ginástica. Na faculdade, montamos uma equipe que participou de uma apresentação de ginástica acrobática na inauguração dos Jogos Abertos de 1969, em Araraquara”, relembrou.

“As crianças aprendem se você transmite o conhecimento com um modelo baseado na felicidade. A vida ensina isso”

Foi na faculdade que os dois caminhos se cruzaram. Na época, também se encontravam nos Jogos Universitários, em São Paulo. Os jovens do interior ficavam alojados no Pacaembu. Neusa participava de basquete e atletismo; Hélio, jogava futebol. “A gente sempre se encontrava. Criamos um ambiente e agora faz 48 anos que estamos juntos (risos)”, contou o ex-goleiro. A ideia de montar uma academia se deve à dificuldade encontrada para trabalhar nas escolas com a filosofia que gostariam: ser feliz, sem pressão ou cobrança excessiva pelo rendimento. Formados, cada um deles chegou a dar 70 aulas por semana.

“Nós sempre lutamos por um ideal, com um espírito competitivo saudável, e estudávamos muito para alcançar os nossos objetivos. Na quadra, nunca fui de sorrir; quando estava jogando, sentia uma conexão com Deus. Nasci com um propósito de vida e acredito que foi o esporte, porque muita gente foi e ainda é feliz conosco”, disse Neusa. Perguntada sobre o sentimento que mantém viva a motivação depois de 26 anos, ela responde sem firula: “É o amor. As crianças aprendem se você transmite o conhecimento com um modelo baseado na felicidade. A vida nos ensinou isso”.

RECONHECIMENTO

Hoje, a Academia Corpo Livre está localizada à rua Manoel Chadad, 27, bairro Nova Piracicaba. No espaço, o trabalho é dividido entre a ginástica acrobática, em grupo (duplas, trios e quartetos), e ginástica rítmica (individual e conjunto com diferentes aparelhos). “Dividimos o ano em duas atividades: em julho, temos um espetáculo artístico usando os elementos da ginástica para montar coreografias. No final do ano, o Troféu Corpo Livre. É importante que as crianças aprendam a competir de forma lúdica: apresentação, responsabilidade e avaliação por um árbitro capacitado”, explicou Hélio.

Academia Corpo Livre Piracicaba

O trabalho desenvolvido na Academia Corpo Livre completa 26 anos em outubro (Foto: Líder Esportes)

O reconhecimento pela dedicação ao esporte é um combustível extra para o casal. Neusa confessa especial satisfação quando é reconhecido o que a academia faz, não o que ela tem. “Nascer com uma missão e cumpri-la é algo muito prazeroso. Montamos uma academia como planejamos, temos profissionais que estão entre os mais qualificados do Brasil. Não foi fácil, mas olho para trás e digo: ‘Que bom que foi assim'”, afirmou Neusa, que completou. “Chegamos aonde queríamos. Isso só foi e continua sendo possível pelos parceiros que tivemos ao longo dos anos”.

Filha do casal, Cibeli Sacconi é a responsável pela continuidade do trabalho. O currículo dela fala por si só: Cibeli foi a primeira ginasta a ganhar uma medalha na modalidade para a cidade nos Jogos Regionais, com o pódio na trave.  Em 2002, a academia representou o Brasil no tradicional Festival Del Sole, em Riccione, na Itália. Mas a dedicação vai muito além dos resultados. “A Cibeli é uma artista com veia esportiva e que tem a missão de fazer o trabalho crescer. Ela tem um coração enorme. Aliás, isso ela herdou do Hélio, porque eu não sou muito assim: pisou no meu calo eu piso de volta (risos)”, brincou Neusa.

Voltar