fbpx

Líder Esportes

Opinião

Raul Prata: a busca pela Sul-Americana

*Capa: Rogério Moroti/Agência Botafogo

Eu o conheci ainda nas categorias de base do XV de Piracicaba. Menino educado, só faltava me chamar de senhor, de família tradicional em nossa cidade e, o mais importante, bom de bola. Chegou ao profissional do Alvinegro, fez boas partidas, mas não vingou. Rodou o interior de São Paulo e do Rio de Janeiro, passou pelo Mato Grosso até chegar ao maior time do Nordeste, o Sport, onde é treinado pelo professor Vanderlei Luxemburgo.

Estou falando do lateral-direito Raul Prata, atualmente no Leão da Ilha. Fico feliz com seu sucesso profissional. Hoje, aos 30 anos, é peça importante de Luxemburgo na luta contra o descenso no Campeonato Brasileiro. Mas, não foi sempre assim. No início da carreira, chegou até a pensar em desistir porque o futebol, muitas vezes, é cruel com os profissionais da bola.

Conheci a então promessa em 2007, quando era editor de esportes do Jornal de Piracicaba. Na época, ainda estava na base quinzista. Fiz amizade com ele, ajudada pelo fato de trabalhar no jornal um primo de Raul. Quando foi promovido ao time de cima, ele manteve boa regularidade, mas era muito cobrado pela torcida, que parecia não ter paciência com os jogadores ‘feitos em casa’.

Também por isso, resolveu seguir ‘novos ares’. Quando foi jogar no interior de São Paulo e no Rio de Janeiro, em times como o Guaratinguetá e o Americano-RJ, sempre me mandava notícias, via e-mail ou por telefone mesmo, pois não havia ainda WhatsApp. Às vezes, se queixava da vida difícil, mas sempre insistiu em buscar um lugar de destaque no futebol.

Em Lucas do Rio Verde (MT), começou a disputar campeonatos mais expressivos, como a Série B do Brasileiro. Em cinco anos, se tornou um dos jogadores que mais vestiu a camisa do Luverdense-MT, com cerca de 200 partidas. Foi assim que começou a aparecer de verdade. Depois disso, uma passagem rápida pelo Botafogo-SP antes de chegar ao Sport, de Luxemburgo e do selecionável Diego Souza.

Depois das muitas idas e vindas, o prata da casa do XV de Novembro vive atualmente um período de afirmação. Apesar de lutar contra o descenso no Brasileirão, o piracicabano poderá levantar sua primeira taça em nível internacional: a Copa Sul-Americana. O Leão disputa as quartas de final contra o Junior Barranquilla, da Colômbia, e nesta quinta-feira haverá o duelo de ida, no Recife. Raul não joga porque está lesionado. Porém, deverá ficar à disposição para a partida de volta, na Colômbia.

Torço muito para o sucesso dele. Afinal, é piracicabano, é revelado pelo XV de Novembro e por que o considero meu amigo também, além de ser um tremendo ‘boa gente’, pessoa de família e de bom caráter.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar