fbpx
Futebol

Pugliese quebra silêncio: ‘Saio triste, não foi questão financeira’

Técnico destaca propostas recusadas para seguir no XV e atribui saída a Arnaldo Bortoletto

Tarcísio Pugliese, técnico do XV de Piracicaba
Tarcísio Pugliese: saída do XV de Piracicaba pegou o treinador de surpresa (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

Demitido ontem (8) pelo XV de Piracicaba, o técnico Tarcísio Pugliese falou pela primeira vez nesta quinta-feira (9) sobre a saída do Alvinegro. Em entrevista à EPTV, o treinador disse que viveu um período feliz no Barão da Serra Negra, destacou a relação com os torcedores e falou que recebeu a decisão do clube com tristeza. Pugliese afirmou que abriu mão de propostas e de dinheiro para seguir no Nhô Quim, e que a rescisão do contrato foi definida pelo presidente Arnaldo Bortoletto. Em nota, o XV justificou a demissão do técnico pela situação financeira e a indefinição em relação ao retorno da Série A2 do Campeonato Paulista. LÍDER antecipou que o real motivo foi uma discussão ríspida entre as duas partes.

Leia mais: Após discussão, XV rescinde contrato de Pugliese

“Me pegou de surpresa, estou triste e chateado, vinha de 11 jogos sem perder antes da derrota para o Taubaté, fizemos uma campanha inédita na Copa do Brasil, com a classificação para a segunda fase. Passou esse período todo e quando estávamos próximos de voltar com a Série A2, acontece uma situação dessas. A notícia me pegou de surpresa, desprevenido”, disse o técnico à EPTV. “Eu recebi o telefonema do Beto Souza (gestor de futebol) e ele me chamou para uma reunião ontem com o Ricardo (Moura, diretor de futebol). O Arnaldo não foi à reunião, fui demitido por eles, mesmo eles deixando bem claro que eram contra minha demissão. A decisão de fato é do presidente Arnaldo”, falou o treinador.

Pugliese garantiu ainda que a saída dele não se deve a questões financeiras. “Eu tive muitas propostas. Tive proposta do São Bento, que ofereceu pagar minha multa, e não fui a pedido do presidente. Num momento desse de pandemia, aceitei a redução salarial e isso foi tratado de forma diferente de todos os funcionários, fiz acerto pior que os outros, me propus a receber no fim do ano, pois o meu foco era subir o XV. Não teve questão financeira envolvida”, argumentou. “Eu saio triste, não gostaria de estar saindo. Fiz tudo o que pude para permanecer: questão financeira, redução, receber depois, nova redução… Deixei de ir para o Corinthians com o objetivo de colocar XV na Série A1, mas infelizmente me foi tolhido participar desse processo”, completou.

Tarcísio Pugliese se pronunciou no Instagram sobre a saída ‘conturbada’ no XV (Foto: Reprodução)

O ex-treinador do Alvinegro também agradeceu o apoio que recebeu dos jogadores após a notícia da rescisão do contrato – o elenco pediu ao presidente Arnaldo Bortoletto para reavaliar a decisão. “Eu só tenho coisas boas para lembrar do XV de Piracicaba: as pessoas, a comissão técnica, os atletas, a diretoria e, principalmente, a torcida. É difícil falar disso, mas óbvio que os jogadores me ligaram. Eles estão chateados, pediram e tiveram uma reunião com o presidente para que voltasse atrás dessa decisão, mas infelizmente ela foi mantida”, finalizou.

O técnico também se pronunciou sobre o assunto no Instagram. Nas redes sociais, Pugliese reforçou que a demissão foi tomada apenas por Arnaldo Bortoletto. “Fiquei perplexo por estar sendo demitido durante a pandemia, no momento em que a FPF comunica a volta da Série A2. Sempre respeitei e honrei o XV […] e esse respeito não foi recíproco. Aceitei a redução salarial para poder ficar até o fim do Paulistão (e fui o único funcionário que não recebeu do clube o salário referente ao mês de maio, não foi cumprido o que foi combinado comigo), aceitei uma possível nova redução […] Dessa forma, fica difícil entender que o problema tenha sido financeiro”, disse.

NOVO TÉCNICO

Sem Tarcísio Pugliese, o XV de Piracicaba buscará um novo técnico para a sequência da Série A2 do Campeonato Paulista. O primeiro nome procurado foi o de Moisés Egert, que dirigiu o Alvinegro entre 2010 e 2012, conquistando dois acessos e o título estadual da A2 em 2011. O treinador, porém, descartou sair do Marcílio Dias-SC no momento. “Sempre fico muito honrado em ter meu nome ligado ao XV. Sempre estarei pronto para ajudar e escutar. Mas, neste momento, meu foco é total e irrestrito no Marcílio Dias. Acredito demais no projeto que vem sendo desenvolvido pela diretoria”, falou em entrevista ao Globoesporte.com.

A reportagem apurou que o nome mais cotado no momento para comandar o Nhô Quim é o de Evaristo Piza, que passou pelo XV em 2018 e está desempregado desde março, quando deixou o Botafogo-PB. Ao LÍDER, o treinador disse nesta quinta-feira (9) que ainda não foi procurado pela diretoria alvinegra. “Teria uma grande satisfação em voltar, é um clube que me identifiquei muito, de um grande ambiente de trabalho e de uma grande torcida e tradição. Mas, até o momento, não houve nenhum contato”, confirmou Piza.

Voltar