fbpx
Ginástica Rítmica

Promessas da ginástica disputam competições

Julya Gomes participa de torneio preparatório; Marcela Pratti realiza estreia

Julya Gomes e Marcela Pratti são ginastas que representam a academia Corpo Livre (Foto: Líder Esportes)

Duas atletas da academia Corpo Livre estão preparadas para participar de dois eventos de ginástica rítmica nos próximos dias. A primeira a entrar em cena será Julya Gomes, 13, que disputa neste sábado (22), em Americana, a 1ª Copa Preparatória Attitude, competição que reúne equipes credenciadas para disputar os Jogos Regionais. Julya compete na categoria individual mãos livres. Já Marcela Pratti, 15, aguarda a definição da data da Copa Vera Lúcia (Liga Metropolitana). O torneio será em Santos e deve ocorrer no dia 29 de junho.

“A Julya treina desde abril aqui (Corpo Livre) e no colégio Tales de Mileto. Ela foi destaque e venceu as duas competições para iniciantes que disputou. Agora, o nível será um pouco mais avançado”, relatou Helena Macchi, treinadora da equipe piracicabana. “A Marcela começou os treinos em maio, nunca teve experiência em ginástica rítmica de competição. Nós estamos fazendo um trabalho de iniciação. Ela irá disputar no individual mãos livres, mas com uma série um pouco diferente do regulamento oficial, com um tempo de 50s a 1min”, afirmou a técnica.

Perguntada sobre a expectativa em relação ao desempenho das duas ginastas, Helena disse que não haverá cobrança direta por resultado. “Gosto de trabalhar com o melhor que elas podem fazer, independente de que fizerem as outras equipes. Nosso objetivo é fazer uma série cravada, com uma boa execução, causando uma boa impressão nos árbitros. Para nós, é isso que importa. Não cobramos resultados, mas o que tem na série, elas têm que fazer bem feito”, disse a treinadora.

ANSIEDADE

Julya começou a se interessar pela ginástica, segundo ela, desde pequena, quando fazia ballet e assistia o esporte pela televisão. Levada pela mãe, foi aprovada em uma seletiva local, mas o projeto foi paralisado logo em seguida. “Recomecei com a Helena, ela me deu a oportunidade para treinar. Como subi de categoria, sei que o nível é mais difícil. Fico ansiosa, mas estou treinando e acredito que vou bem. Meu sonho é chegar na seleção brasileira e, quem sabe, um dia ser professora”, contou.

Marcela começou aos 5 anos na ginástica acrobática, mas só passou a treinar para competir na ginástica rítmica há cerca de um mês. O motivo? Ela explica. “Eu sempre gostei de competir e queria muito aprender ginástica rítmica, mas pensava que eu não levava jeito. Quando comecei, percebi que poderia ir bem. Será minha primeira competição e pela minha idade, é um pouco tarde para pensar em viver da ginástica, mas será uma boa experiência. Não quero criar muita expectativa para não ficar nervosa”, completou a atleta.

Voltar