fbpx
Futebol

Portuguesa e XV decidem vaga para semifinal em dois jogos

Evaristo Piza enaltece time e cita 'cobrança, crítica, porrada' no intervalo contra o Penapolense

Evaristo Piza, técnico do XV de Piracicaba
Evaristo Piza sofreu no primeiro tempo, mas mexeu bem na equipe para o segundo (Foto: Michel Lambstein)

Portuguesa e XV de Piracicaba se enfrentarão em dois jogos, ambos com transmissão do SporTV, valendo uma vaga para as semifinais do Campeonato Paulista da Série A2. O duelo de ida acontece na próxima segunda-feira (7), às 17h30, no Barão da Serra Negra. A partida de volta será no dia 14, às 17h, no estádio do Canindé, em São Paulo. As datas e os horários foram confirmados nesta segunda-feira (31), em Conselho Técnico realizado pela FPF (Federação Paulista de Futebol), por videoconferência.

Antes da pandemia causada pelo coronavírus, a competição estadual estava prevista para terminar em maio. A paralisação de cinco meses, contudo, ‘esticou’ a decisão para o dia 11 de outubro, conforme a Portaria FPF 070, publicada em 12 de agosto. Classificados para o mata-mata, São Bento e São Caetano disputam as séries C e D do Brasileiro, respectivamente. Em razão do choque de datas com o campeonato nacional, o calendário da FPF não pôde ser encurtado. A prolongação do torneio pode prejudicar clubes como o XV, que terão de renovar novamente os contratos dos jogadores, sob o risco de perder atletas para a fase semifinal da A2.

Além de Portuguesa e XV de Piracicaba, os confrontos que decidirão os semifinalistas do Estadual são os seguintes: São Bernardo e Juventus, São Bento e Taubaté, e São Caetano e Monte Azul. “A Portuguesa é uma grande equipe, mas agora só ficaram as camisas grandes, não tem favoritismo. Agora é duelo de gigantes. Temos que colocar nossa força e ter o espírito que nós tivemos no segundo tempo contra o Penapolense”, analisou o técnico Evaristo Piza, em coletiva realizada neste domingo (30), após a vitória que garantiu a classificação do Nhô Quim e rebaixou o CAP para a Série A3.

POSTURA

As mudanças feitas por Piza no intervalo da partida de ontem foram decisivas para a vitória quinzista. Apático no primeiro tempo, o XV voltou para a segunda etapa com postura diferente. “O time não foi enérgico no primeiro tempo, aceitou o Penapolense jogar, tomou o gol no final e desceu em uma situação adversa para o intervalo. No segundo tempo, o jogo mudou. É mérito dos caras que entraram: Marcelinho foi muito bem, começou a ditar o ritmo no meio, Samuel deu vazão pelo lado esquerdo e fez a assistência para o gol do Mancha, Érison nos trouxe força e marcou o gol do empate. Não adianta mexer se os caras que entram não correspondem. Temos a visão de fora, a leitura, mas são eles que executam”, afirmou.

O treinador também falou sobre a cobrança feita no lado de fora do estádio Barão da Serra Negra – no intervalo da partida, torcedores soltaram rojões e protestaram em área próxima ao vestiário do XV. “No segundo tempo desabrochamos, pusemos força, encurralamos o adversário e não corremos riscos. Acho que é dessa forma temos que encarar a Portuguesa. Nós estávamos desacreditados, no intervalo perdíamos por 1×0, com manifesto contrário, cobrança, crítica, porrada, mas ganhamos vida e agora compete a nós desfrutar desse novo momento com energia e eficiência”, completou Piza.

Voltar