fbpx

Líder Esportes

Opinião

Por que o XV não contrata?

*Capa: Arquivo/Líder Esportes

“Chegaram umas caixas aqui, você sabe me dizer o que é?”, perguntou nesta sexta-feira (8) o perfil oficial do XV de Piracicaba no Facebook e no Instagram.

“Reforços?”, responderam ironicamente vários torcedores nas duas redes sociais.

Registre-se de antemão que o trabalho desenvolvido pelo marketing do clube, com miudezas no que diz respeito aos recursos, é muito bom. Negar a evolução do departamento é burrice. A ação com a Super Bolla, empresa que fornece material esportivo, é criativa. A questão é que, no futebol, não existe ferramenta de marketing que supera o resultado. E aí, meu amigo, quando se morre na praia tantas vezes seguidas, não há estratégia capaz de controlar a cobrança que vem das arquibancadas – ou via redes sociais.

No que se refere ao elenco profissional, a pergunta que mais se repete é: por que o XV não contrata? Afinal, o torcedor que vê o noticiário repleto de caras novas nos rivais naturalmente questiona a falta de novidades no Barão da Serra Negra. Conversei quarta-feira (6) com três fontes ligadas ao Alvinegro. Perguntei:

“Não é o momento de uma notícia positiva? A torcida vem cobrando, quer saber o que está acontecendo, quais nomes estão chegando ou o então motivo que está travado as negociações”.

A resposta (unânime) que ouvi foi essa:

“O XV negocia com vários jogadores que estão disputando as séries B e C (Campeonato Brasileiro). Não dá para divulgar nada enquanto as competições não acabam”.

As competições nacionais terminam na última semana de janeiro. Ligue os pontos: na comparação com 2020, a folha do elenco será reduzida e deve girar na casa dos R$ 230 mil, cerca de R$ 50 mil a menos do que a projeção inicial para o ano passado. O XV, como qualquer clube, sofre com os impactos causados pela pandemia da Covid-19 e não esconde que está economizando o que pode. Ao contratar jogadores que estão disputando as séries B e C, o Alvinegro não paga salários de janeiro. É matemático.

No campo, porém, o plantel terá menos de um mês para treinar, uma vez que a Série A2 do Paulista começa no último dia de fevereiro, em Sertãozinho. É suficiente para começar bem o Estadual? A resposta será dada apenas no campo. O alerta é que, com o tempo reduzido para se reforçar e treinar, o XV terá de ser cirúrgico nas contratações. Não haverá margem para planos B ou C.

Some os fatores às recentes decepções colecionadas no campo e eis a receita ideal para 2021: o XV de Piracicaba não pode mais errar.

Leonardo Moniz é editor de conteúdo do LÍDER

Voltar