fbpx
Opinião

Planejamento para a Série A2

*Capa: Arquivo/Mauricio Bento

Com o fim da Copa Paulista, o XV de Piracicaba começou a reformulação do elenco que terá a difícil missão de buscar o acesso para a elite do futebol paulista. O clube manteve uma boa base do plantel que chegou às decisões em 2019, e também renovou o contrato com o treinador Tarcísio Pugliese por mais uma temporada. Embora precise de reforços pontuais, o Alvinegro tem um grupo entrosado, o que lhe dá uma certa vantagem para o início do Campeonato Paulista.

Considerando a data prévia da primeira rodada da Copa do Brasil, dia 5 de fevereiro, além das sete primeiras rodadas da Série A2, o Nhô Quim realizará oito partidas em menos de um mês. Serão quatro semanas consecutivas com jogos de meio e fim de semana, de 22 de janeiro a 16 de fevereiro. Será preciso rodar o elenco para aguentar a maratona em início de temporada. Para isso, é preciso dar boas opções ao treinador. Não dá para começar a competição com o plantel limitado, como foi na Copa Paulista.

A folha de pagamento de atletas, para início de Série A2, diminuiu de R$ 280 mil para R$ 250 mil para a próxima temporada. Continua sendo um bom investimento, porém, o departamento de futebol precisará se desdobrar para achar os reforços pontuais que caibam nesse orçamento. A conta é simples. O Alvinegro poderá inscrever 26 atletas em uma lista principal. Se todos recebessem valor igual, cada um ganharia algo em torno de R$ 9,6 mil. É claro que isso não é possível, pois os valores são acertados individualmente. Para um ganhar mais, outro tem que ganhar menos, assim você não estoura o orçamento.

A questão é que com os atletas que já possuem contrato, o XV já tem em torno de R$ 200 mil comprometidos. Sobrou pouco para buscar reforços. A receita é conseguir mais investidores ou fazer os malabarismos financeiros, emprestando jogadores que não serão tão aproveitados ou até mesmo com rescisões de contrato. Não dá para pagar alto para um atleta que será a quarta ou quinta opção para a posição. Rescindir um contrato parece simples, mas não é. Existem cláusulas, multas.

Três contratações requerem certa urgência. Um lateral-esquerdo, caso Peri não renove, um meia e um centroavante, que pode inclusive jogar ao lado de Macena, que sai mais da área para buscar o jogo. Para a sequência do campeonato, vejo necessidade de contratar mais um zagueiro, um lateral-esquerdo, um volante, um meia, e dois atacantes de velocidade. Vale ressaltar que Bruno Lima e Luizinho, que negociam a renovação, podem preencher duas dessas vagas.

A última contratação ficaria em aberto, para suprir alguma carência da equipe. Restando pouco menos de dois meses para o início do Estadual, vejo o XV no caminho certo e, mesmo com o elenco ainda incompleto, penso que o clube não deve sofrer tanto para carimbar a classificação para as quartas de final. Quanto à Copa do Brasil, o pensamento tem que ser avançar o máximo possível na competição. Não ser eliminado na primeira rodada é o primeiro objetivo a ser alcançado.

Marcelo Sá é jornalista no Líder Esportes e na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Voltar