fbpx
Muay Thai

Piracicabano é prata no Mundial de Muay Thai

Robert Ribeiro conquista grande resultado na Tailândia; russo vence torneio

Robert Ribeiro, lutador de muay thai da equipe Bokator, e o treinador Leandro Rigolin
Robert Ribeiro, atleta de muay thai da equipe Bokator, e o treinador Leandro Rigolin (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

Robert Ribeiro é vice-campeão mundial de muay thai. Em luta realizada nesta sexta-feira (16), em Bangkok, na Tailândia, o lutador piracicabano acabou derrotado por pontos pelo russo Albert Khayrullin. A decisão foi válida pela categoria -60 kg. O atleta da equipe Bokator, de apenas 18 anos, realizou quatro combates em solo tailandês e chegou à final com três vitórias, duas delas por nocaute ainda no primeiro round. Robert admitiu a vitória do adversário e disse que ainda não tem a exata noção do que conquistou na Ásia.

“Ele (Albert Khayrullin) ganhou a luta, conseguiu se movimentar bastante e boxeou muito bem. Eu sabia da dificuldade, mas não me deixei intimidar. É assim que eu sou. Infelizmente, a vitória não veio”, afirmou o piracicabano, emocionado após o combate. “Eu gostaria primeiro de pedir desculpas pela derrota. Não consegui achar a distância da luta e encaixar o meu jogo. Estou triste com o resultado negativo e sei que tenho que trabalhar algumas coisas, preciso melhorar”, relatou.

Robert seguirá na Tailândia nesta semana e deve desembarcar no Brasil dia 23. Após cumprir o papel no ringue, o atleta irá aproveitar os dias restantes para conhecer o país, berço do muay thai. “Neste momento, a tristeza está dominando um pouco meu coração, mas é normal que isso aconteça após uma derrota. Sei que perdi uma final muito importante, mas estou feliz por chegar aonde cheguei e ter comigo as pessoas que tenho. A sensação é estranha: não sei se choro de alegria ou de tristeza. É um conflito de sensações”, confessou.

ELOGIOS

Atleta da equipe Bokator, o piracicabano é treinado pelo técnico Leandro Rigolin e pelo preparador físico Matheus Gerdes. Depois de ver a performance do ‘pupilo’ em Bangkok, Rigolin elogiou o novo vice-campeão mundial. “O Robert está de parabéns. Ele chegou aonde chegou e não foi por acaso. Quando ele saiu do Brasil, nós não sabíamos como ele se comportaria em uma experiência totalmente nova. A evolução é visível e estamos orgulhosos pela forma como ele nos representou”, disse o técnico.

“Na primeira luta, o Robert demorou para se encontrar, mas conseguiu encaixar o jogo e passou. Na segunda e na terceira, ele estava mais à vontade e nocauteou bem. Na final, chegam apenas os melhores. Ele enfrentou um russo que é ‘rodado’, que foi campeão na Tailândia em 2016 e campeão europeu. Ele tem experiência e conseguiu impor o jogo dele. Faltou achar o espaço e o adversário pontuou mais. Mas, o Robert foi guerreiro do início ao fim. Ser finalista de um Mundial é um resultado excelente”, completou Rigolin.

Voltar