fbpx
Muay Thai

Piracicabana volta a lutar pela Copa Extrema

Joyce Franca participa neste fim de semana da competição em Minas Gerais

Joyce Franca, lutadora de muay thai da equipe Inside Lukas Bueno
Joyce Franca, atleta da equipe Inside Lukas Bueno, volta a lutar pela 3ª Copa Extrema (Foto: Líder Esportes)

A piracicabana Joyce Franca volta a lutar neste domingo (3), em Minas Gerais, pela 3ª Copa Extrema de Muay Thai. A competição seria realizada no fim de semana anterior, mas foi adiada devido à greve dos caminhoneiros. A atleta da equipe Inside Lukas Bueno enfrenta Pâmela Fernandes, que substitui Janaina Sartori em superluta válida pela categoria 52 kg. O evento marca o retorno de Joyce aos ringues após a estreia no Fight Pró 4. Na ocasião, a piracicabana foi derrotada pela experiente Jackeline Oliveira, em decisão unânime, na segunda luta do card preliminar, em Bragança Paulista. O resultado negativo, porém, não terá interferência no próximo desafio, garante a lutadora.

“A preparação é bem intensa e tenho treinado bastante. Nessa semana, a última antes da luta, eu descansei mais o corpo, apenas controlando o peso. Espero fazer tudo o que estou treinando, usar bastante cotovelo e joelho, impondo o meu jogo. É uma responsabilidade que eu tenho e quero dar mais um passo em minha carreira. A cada dia, cada treino, é um passo a mais para atingir meus sonhos”, disse a lutadora piracicabana. Perguntada sobre o combate anterior, ela disse que absorveu a experiência.

“Eu tinha treinado bastante cotovelo e clinch, pois enfrentei uma adversária que vinha do kickboxing. Nós fizemos uma estratégia pensando em segurar mais no primeiro round, para avaliar o jogo da adversária, soltando mais no segundo e atacando com mais força no terceiro round. Porém, ela veio para cima, é uma boa lutadora. Consegui levar até o final, mas não consegui colocar em prática o que eu treinei. A minha adversária soube se impor e venceu a luta”, disse.

Mas, e o que faltou? “Não encontrei o ‘timing’. Ela vinha, batia e eu não consegui contragolpear. A minha adversária achou o timing, encontrou o tempo e a distância ideal, coisa que eu não consegui. Mas, serviu como experiência e vou aprender muito. Vi o vídeo, comparando com uma luta que fiz em janeiro, e percebi que houve uma evolução clara, os golpes. Mas preciso treinar mais e melhor, corrigir os erros para não voltar a errar na próxima competição”, finalizou Joyce.

Voltar