fbpx
Kickboxing

Piracicabana estreia no circuito profissional

Isabele Almeida disputa dois eventos em 21 dias: Gladiators K1 e WGP

Isabele Almeida, lutadora de Kickboxing da equipe Brock Team Fighters
Isabele, em treino realizado no início da semana na academia Brock Team Fighters (Foto: Líder Esportes)

A piracicabana Isabele Almeida, 23, inicia no próximo fim de semana a carreira como atleta profissional de kickboxing. Campeã paulista, brasileira e vice pan-americana no México, pelo circuito amador, sempre na categoria low kicks 56 kg, a lutadora da equipe Brock Team Fighters encara dois eventos em um período de 21 dias. Neste sábado (14), ela enfrenta Bia Molina pelo Gladiators K1, em duelo que será realizado no Sindicato dos Metroviários de São Paulo, no Tatuapé.

“Já fiz uma luta contra ela e tive um resultado positivo, mas acredito que isso não interfere em nada. Ela está treinando e eu também, será uma luta muito boa. O foco do meu treino vinha sendo a parte técnica, perder peso é algo que deixei mais para os últimos dias”, contou Isabele, que pratica kickboxing há três anos e participa de competições há duas temporadas. “Eu sempre gostei de fazer esporte e quando comecei a treinar, logo quis começar a lutar”, relatou.

CALENDÁRIO

Três semanas depois, Isabele viaja a Sorocaba para participar do WGP 45.  No dia 5 de maio, a piracicabana encara Stephanie Forcin. “Vamos pensar em uma coisa de cada vez. Primeiro, tenho que lutar bem no Gladiators. É claro que estamos montando uma estratégia para chegar inteira no WGP”, disse a atleta, que treina diariamente pela manhã, trabalha à tarde em uma loja de eletrônicos e cursa faculdade de fisioterapia à noite. A rotina ‘acelerada’ é mais um obstáculo a ser superado pela lutadora.

“Eu sou uma pessoa ansiosa e estou trabalhando esse lado com uma psicóloga. É algo que eu preciso melhorar e sinto que estou evoluindo. Neste momento, estou pensando apenas em treinar para fazer o meu jogo quando entrar no ringue. Não adianta pensar a semana inteira na luta. Além disso, tenho muita liberdade para conversar com o meu treinador (Julio Costa) e com a Cristmi (Páfaro), que é a minha referência, assim como a Elaine Lopes. Com ela, estou fazendo um trabalho técnico também”, completou Isabele.

Voltar