fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Piracicaba, capital pan-americana de kickboxing

Gustavo Piacentini, Isaias Silva e Jampa Leibholz brilham em Cancún: 4 ouros!

Isaias Silva e Gustavo Piacentini, nomes fortes do kickboxing piracicabano (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

O kickboxing de Piracicaba fechou o ano com chave de ouro. Gustavo Piacentini, Isaias Silva e Jampa Leibholz conquistaram em outubro o título do Campeonato Pan-americano. A competição foi disputada em Cancún, no México, e encerrou o calendário internacional da temporada. Visivelmente emocionado, Jampa subiu ao lugar mais alto do pódio na categoria full contact (-60 kg) faixa preta. O lutador da academia Chock Dee disse que a luta que decidiu o título foi a mais difícil que fez ao longo da carreira.

“Foi sem dúvidas a luta mais dura e mais bonita que já fiz em minha vida. Não tenho vergonha de falar que estava com medo e não acreditava que iria conseguir, mas, dobrei os joelhos e coloquei nas mãos de Deus, pedi proteção e que fizesse o que fosse melhor para mim. Confiei nos meus treinadores, nas ajudas recebidas dos parceiros de treino, nas palavras de incentivo e em especial, na família maravilhosa que tenho. O esporte me proporcionou a ir à lugares imagináveis, fez eu mudar de vida”, desabafou o lutador.

Isaias Silva coleciona histórias de superação. Para viajar a Cancún, o atleta chegou a pedir ajuda no semáforo e contou com a ajuda de um grupo de dez amigos, que conseguiram arrecadar aproximadamente R$ 1.000. A iniciativa valeu a pena: no México, lutador de Piracicaba se sagrou campeão no ringue e no tatame, ambos na categoria 57 kg. “Nada na minha vida foi fácil e sempre corri atrás dos meus sonhos. Estou muito feliz pelos resultados, pela forma como eles foram alcançados. Sozinho, não conseguiria nada”, disse o atleta do grupo Company Top Fight/Fit Life/Bomber.

Jampa Leibholz, lutador da academia Chock Dee

Emocionado, Jampa diz que fez a melhor luta da vida em Cancún (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Gustavo Piacentini teve de superar a dor da derrota para chegar ao título do Campeonato Pan-americano. Após a derrota no WGP para o boliviano Renzo Martinez, em casa, viveu um período de ‘luto’ e demorou para se recuperar psicologicamente. O retorno, porém, foi triunfal: tetracampeonato da Copa do Brasil, sexto título dos Jogos Abertos do Interior e, finalmente, a sonhada medalha de ouro no Pan. “Não tenho palavras, a alegria é imensa. Cara, eu consegui! Ganhei”, vibrou Piacentini, em vídeo divulgado para os fãs no Facebook. O atleta teve o suporte dos treinadores Wilson Teodoro e Marcos Ribeiro, além do preparador físico Yuri Henrique.

Voltar