fbpx

Líder Esportes

Atletismo

Pinheiros vence o 40º Troféu Brasil; piracicabano é prata

Erik Cardoso ficou com o vice no revezamento 4x100, mas não foi bem nas provas individuais

Troféu Brasil 2021 - Esporte Clube Pinheiros
O Esporte Clube Pinheiros conquistou o título do 40º Troféu Brasil de Atletismo (Foto: CBAt/Divulgação)

O Esporte Clube Pinheiros conquistou o título do 40º Troféu Brasil de Atletismo, encerrado no último domingo (13), no Centro Olímpico do Treinamento e Pesquisa, em São Paulo. A equipe paulistana somou 409 pontos e foi campeã no masculino (231 pontos) e no feminino (178). Esse foi o sexto título consecutivo do Pinheiros na competição interclubes mais importante da América Latina. A Orcampi, de Campinas, foi a segunda colocada na classificação geral (251 pontos), enquanto o CT Maranhão encerrou o evento em terceiro lugar.

Atleta do Sesi-SP, o piracicabano Erik Cardoso não foi bem no Troféu Brasil. O melhor resultado individual do velocista foi nos 100 m rasos, com o oitavo lugar na final. Na prova de 200 m, Erik parou nas semifinais. Já no revezamento 4×100 m, o piracicabano ficou com a medalha de prata – Pinheiros foi campeão. “Infelizmente, os resultados individuais não foram os esperados e não consegui realizar uma boa competição, nem sempre acontece o que a gente quer. Mas acredito que o melhor está por vir, é o momento de treinar e pensar nas próximas competições”, afirmou.

CLASSIFICAÇÃO

No quadro geral de medalhas, São Paulo ficou em primeiro lugar, com 67, sendo 22 de ouro, 22 de prata e 23 de bronze. Santa Catarina foi a vice-campeã, com 26, seguida do Maranhão, com 12 medalhas. Os melhores atletas da competição também foram do Pinheiros. No masculino, Augusto Dutra foi indicado pela performance no salto com vara: venceu com 5,72 m, recorde do Troféu Brasil. No feminino, Eliane Martins foi a melhor atleta ao cravar a marca de 6,67 m no salto em distância.

“A superioridade é fruto do empenho do clube e do trabalho realizado pela comissão técnica, muito bem aproveitados pelos atletas. Eles têm consciência de que podem evoluir cada vez mais com a estrutura que o Pinheiros oferece aliada a competição da comissão”, disse o coordenador de atletismo do clube, Clodoaldo Lopes do Carmo, ex-atleta dos 3.000 m com obstáculos que foi representante do Brasil nos Jogos Olímpicos de 1992 e 1996, em entrevista ao site da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo).

Voltar