fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Piacentini supera expectativas na volta aos ringues

Piracicabano muda de categoria e faz luta equilibrada com campeão do WGP

Gustavo Piacentini, lutador de kickboxing
O próximo objetivo de Gustavo Piacentini é a conquista do sétimo ouro nos Jogos Abertos (Foto: Líder Esportes)

A medalha de ouro e o pentacampeonato da Copa do Brasil não vieram, mas o retorno de Gustavo Piacentini aos ringues, após quatro meses afastado, superou as expectativas. Essa é a avaliação do próprio lutador piracicabano, vice-campeão na competição realizada no último fim de semana, em Mogi das Cruzes. A decisão do título contra Hector Santiago, atual campeão do WGP Kickboxing, foi considerada a melhor luta do evento. Apesar do equilíbrio, Santiago levou a melhor após três rounds na categoria 63,5 kg (K1).

“A final com o Hector foi muito boa. Apesar de buscar sempre a vitória, sou um atleta experiente e tenho que saber o momento que vivo. Hoje, a fase é dele. É o atual campeão do WGP, fez defesas de cinturão com lutas muito boas, sempre com muita técnica e gás. O Hector acabou de fazer uma disputa profissional de boxe e também saiu com a vitória. Apesar disso, a nossa luta foi muito equilibrada, sofri a virada no terceiro round. Ele está com ritmo e eu vinha afastado”, analisou Piacentini.

“Na minha opinião, ele realmente sobressaiu no terceiro round. Particularmente, o meu rendimento foi melhor do que eu esperava. Pensei que não fosse páreo neste momento, mas consegui fazer uma luta de igual para igual, qualquer um poderia sair com a vitória”, completou o lutador, que tem como preparador físico Bilico Carvalho e conta com o suporte dos treinadores Gustavo Zandoval, Marcos Ribeiro e Wilson Teodoro. Para enfrentar Hector Santiago, porém, ele abriu mão de uma chave teoricamente mais fácil, aonde o título seria mais ‘acessível’, e mudou de modalidade.

VONTADE

A ‘sede’ de lutar e o desejo de testar-se ao extremo foram os argumentos de Piacentini para lutar na categoria K1. “Eu estava inscrito no low kicks, que é a modalidade em disputa nos Jogos Abertos do Interior, minha prioridade. Pensei na adaptação, uma vez que minhas últimas competições foram sempre no K1. Após a pesagem, quando fiz o credenciamento, vi a chave e decidi mudar para o K1, pois havia mais atletas e eu teria a chance de enfrentar o Hector. Quis me testar e a melhor opção foi tentar a chance de enfrentar o cara que é o melhor atualmente da categoria”, disse Piacentini, que conta com apoio da academia Fit Me e da MP Suplementos.

O piracicabano tem agora cerca de dois meses para se preparar para os Jogos Abertos do Interior, principal objetivo neste semestre, que acontecem no mês de novembro, em São Carlos. “A performance aumenta a confiança e dá segurança. Senti um pouco o ritmo e pequei em alguns momentos na movimentação, colocação de golpes, mas é algo esperado. Ainda assim, fiz boas lutas. Para os Jogos, penso que posso chegar em condições bem melhores. Será uma competição exigente, mas vou sem receio”, completou o atleta, que é hexacampeão do torneio.

Voltar