fbpx

Líder Esportes

Opinião

Para refletir

*Capa: Cesar Greco/Palmeiras

O Palmeiras perdeu duas taças em apenas quatro dias, da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-Americana. E ambas nos pênaltis. É inadmissível um time do tamanho do campeão da América não ter a cabeça no lugar no momento da decisão. Um time flagrantemente nervoso em campo e especialmente na hora mais importante, quando se define o vencedor.

Foi assim diante do Flamengo, no último domingo (11), e nesta quarta-feira (14), contra o Defensa y Justícia, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Após perder por 2×1 no tempo normal na decisão da Recopa Sul-Americana e empate sem gols na prorrogação, a equipe brasileira perdeu novamente nas cobranças de penal: 4×3 para os hermanos.

Por isso, é momento de reflexão. De recomeço. Jogadores experientes, como o atacante Luiz Adriano e o capitão Gustavo Gómez, não podem pipocar no momento mais decisivo. Ainda na prorrogação da final desta quarta-feira, quando já perdia por 2×1, o Palmeiras teve pênalti a seu favor. Só que Gómez cobrou muito mal e praticamente recuou para o goleiro rival.

Chance de ouro desperdiçada que possibilitou a vitória do Defensa y Justícia, levando aos pênaltis a decisão da Recopa Sul-Americana. E todos sabem que os argentinos são exímios batedores. Quantas vezes Boca Juniors, River Plate e Independiente ganharam a Liberadores nos pênaltis! É uma dura realidade para o torcedor alviverde.

Esses dois reveses recentes devem colocar pressão não somente sobre o elenco, mas também em cima do trabalho do técnico Abel Ferreira. O português acertou muito em suas conquistas, mas também errou bastante nas últimas finais. Insistiu em colocar o time na retranca quando o placar favorecia e também colaborou com a instabilidade psicológica da equipe com cartões amarelos e vermelhos.

Agora, o Palmeiras junta os cacos, encara a realidade e parte para uma nova temporada, a de 2021, com chances de buscar mais títulos no Campeonato Paulista, Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, na qual terá novamente o Defensa entre os seus rivais – os dois estão no Grupo A, ao lado de Independiente Del Vale e Universitário. É o resta.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar