fbpx

Líder Esportes

Opinião

Palestino

*Capa: Rubens Chiri/São Paulo

A classificação do pequeno, para não dizer inexpressivo, Palestino-CHI para a fase de grupos da Copa Libertadores é a prova da incompetência do São Paulo. O time paulista conseguiu ser eliminado pelo Talleres-ARG, que foi despachado pelo time chileno, nesta quarta-feira (27), em Santiago. Resumindo: até o Palestino está na fase de grupos e o Tricolor não. Meu Deus! Como diria o saudoso jornalista Roberto Avallone. É duro para o torcedor assimilar isso.

Agora, o Palestino entra no Grupo 1, ao lado de Internacional, River Plate-ARG e Alianza Lima-PER. Aliás, os chilenos estreiam na maior competição do continente justamente diante do Colorado, também em Santiago, na próxima quarta-feira (6), às 19h15. Diante dos fatos, é momento de uma reflexão no Morumbi: algo precisa ser feito para que o São Paulo volte aos seus dias de glória.

O time virou chacota dos torcedores rivais ao ser eliminado de competições continentais nos últimos três anos por nanicos da Argentina: Defensa y Justicia (Sul-Americana de 2017), Cólon (Sul-Americana de 2018) e Talleres (Libertadores de 2019). Isso dói no coração dos tricolores. Além disso, a equipe quase não ganha clássicos, vive jejum de conquistas (levantou a última taça em 2012) e não há perspectiva de melhora a curto prazo.

O time joga mal e não melhorou após a saída do técnico André Jardine. Se não bastasse tudo isso, o diretor Raí, um dos maiores ídolos do clube, também é contestado. Jogadores como o volante Jucilei, o meia Nenê e o atacante Diego Souza estão com os dias contados no Morumbi. Tenho quase que plena convicção que não terminam o ano com a camisa do São Paulo. A vez é dos novatos, como Antony e Helinho.

O sonho de todo são-paulino é conquistar a América novamente. Mas ficou para, quem sabe, 2020. Por isso, a pressão seguirá forte. Essa situação só vai acabar (ou ser amenizada) se o São Paulo ganhar alguma coisa neste ano. Nem que seja o Campeonato Paulista, competição na qual não vai bem e atualmente está fora da zona de classificação.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar