fbpx
Opinião

Os melhores guarda-metas

Na infância, quando atuava nas ‘peladas’ de fim de semana com meus amigos, jogava no gol. Não por que eu era ruim de bola, longe disso, mas por que eu gostava mesmo de ser o ‘guarda-metas’. E eu era bom mesmo debaixo das traves. No futsal, ganhei alguns títulos de melhor em quadra e um troféu de mais eficiente em um campeonato que meu time de adolescentes participou no Jardim Helena, extremo leste da capital.

Antes disso, quando criança, fiz uma das minhas melhores apresentações no gramado do Parque Ecológico do Tietê. Tinha uns 12 anos. Ao final da partida, um homem, de mais ou menos 40 anos, me deu um cartão e disse que era olheiro do Atlético-MG. Falou que eu era bom de bola e que iria participar de uma peneira do Galo. Que era para eu ligar para ele em alguns dias. Fiquei com medo e joguei fora o cartão. Nunca vou saber se era realmente verdade.

O tempo seguia e sempre olhava com carinho o que os arqueiros faziam. Minha primeira referência foi o Dasayev, histórico goleiro russo da Copa do Mundo de 1982, na Espanha. “Catava muito!” Quando brincava na rua e pegava uma bola ‘impegável’, gritava “Dasayev!” sem cerimônia. Na mesma Copa, o italiano Dino Zoff também fazia seus milagres. Admirava ainda o argentino Fillol, o uruguaio Rodolfo Rodriguez e o belga Preud’homme.

No entanto, nada se compara à escola brasileira de goleiros. Essa evitava gols! Ao longo da história, formamos arqueiros excelentes. Curiosamente, o meu primeiro ídolo brasileiro embaixo das traves foi o não muito conhecido João Marcos, do Palmeiras, do início dos anos 1980. Depois, veio a minha admiração pelo Leão, pelo Zetti e pelo Taffarel, até chegar no São Marcos. Mas, afinal, quais seriam os melhores da história no Brasil? Depois de uma rápida pesquisa, cheguei ao Top 10, não necessariamente na ordem a seguir, mas que certamente foram alguns dos maiores no esporte mais popular do mundo. Aí vão:

Manga (Botafogo), Rogério Ceni (São Paulo), Julio César (Flamengo), Castilho (Fluminense), Barbosa (Vasco), Emerson Leão (Palmeiras), Dida (Corinthians), Marcos (Palmeiras), Taffarel (Seleção Brasileira) e Gylmar (Santos).

Concordam? Sei que é muito complicado apontar os maiores da história – mesmo que isso venha de um ex-goleiro amador. Mas espero que a maioria assine embaixo. Afinal, somos também os melhores do mundo quando o assunto é evitar o gol.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar