fbpx
Opinião

O que podemos concluir sobre o desempenho do XV na Série A2?

*Capa: Michel Lambstein

Após nove rodadas do Campeonato Paulista da Série A2, é possível chegar a algumas conclusões sobre o desempenho do XV de Piracicaba. Em dois jogos com o gramado encharcado no Barão da Serra Negra, ficou claro que as características da equipe comandada por Tarcísio Pugliese não se encaixam de nenhuma forma com esse tipo de situação. Contra a Portuguesa, com o campo seco, a goleada era uma questão de tempo. Após ‘desabar o mundo’ no estádio, o time foi competente para segurar o resultado, pois só a Lusa passou a levar perigo quando a bola não rolava mais.

Contra o São Bernardo, sem conseguir botar em prática a sua proposta de jogo, o Alvinegro conseguiu marcar um gol no início da partida. Depois, sofreu demais, sendo salvo algumas vezes pelo goleiro Luiz Fernando, que superou as expectativas, após realizar apenas dois jogos oficiais em 2018. Com a melhora do gramado, tornando possível a bola rolar, isso por volta dos 20 minutos do segundo tempo, o XV ficou próximo de ampliar o placar. São jogos atípicos, mas é preciso estar preparado para essas situações. Por enquanto, na base do ‘bumba-meu-boi’, vencendo o jogo, o time conseguiu segurar o placar. Não sei como seria se precisasse correr atrás do resultado. O importante foi conquistar as vitórias.

O ataque também vem surpreendendo. O trio formado por Ítalo (4 gols), Kadu (2) e Ronaldo (5) é responsável por 11 dos 15 gols marcados pelo Alvinegro. Pelo segundo ano consecutivo, a diretoria foi feliz na escolha do camisa 9. Em 2018, Éverton terminou como artilheiro da equipe, com sete gols marcados. Não fez mais porque a bola dificilmente chegava para ele. Ronaldo, pela forma que o Nhô Quim vem jogando, tem tudo para superá-lo. Levando em consideração apenas o Campeonato Paulista, em 2017, Bruno Aquino foi contratado para ser o centroavante titular. Marcou apenas um gol. Romarinho, meia-atacante, foi o artilheiro da equipe com seis gols marcados.

Um ano antes, na última vez que o XV disputou a Série A1, Rodrigo Silva deveria ser o ‘homem-gol’ do time. Inexplicavelmente, o atacante que havia marcado algo em torno de 30 gols pelo ABC-RN, na temporada 2013, não conseguiu balançar a rede uma única vez. Fabinho terminou a competição como artilheiro do XV, com quatro gols marcados. Em 2015, Daniel Bueno (1), David Batista (0) e Rony (3), disputavam a vaga de centroavante. Nenhum convenceu. Graças ao meia-atacante Paulinho (7), que é ídolo na Suécia, o Nhô Quim avançou para as quartas de final do Paulista.

Por enquanto, o Alvinegro versão 2019 é bem diferente do que vimos nos anos anteriores. Em nenhum momento cogitamos rebaixamento, algo que preocupou o clube em todas as edições do Paulista, desde 2012. Em algumas mais, em outras menos. Restando seis rodadas para o término da primeira fase, o XV de Piracicaba abriu seis pontos da primeira equipe fora do G-8. O trabalho está sendo bem feito. A classificação deve acontecer naturalmente e de forma antecipada. Sobre o acesso é correto dizer que o elenco tem potencial para conquistá-lo, mas, assim como os demais pretendentes, terá que ralar muito no mata-mata para alcançar o objetivo.

Marcelo Sá é jornalista no Líder Esportes e na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Voltar