fbpx
Kickboxing

‘O que mais me motiva é enfrentar os melhores’

Recordista de títulos dos Abertos, Piá coloca desafio à frente de medalhas

Gustavo Piacentini e Hector Santiago, lutadores de kickboxing do WGP
Gustavo Piacentini e Hector Santiago: rivalidade no ringue, amizade fora (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Hexacampeão dos Jogos Abertos do Interior e recordista de títulos da competição, o lutador piracicabano Gustavo Piacentini está em fase de preparação para a 82º edição do evento, que será realizada em São Carlos no mês de novembro. A expectativa, porém, vai além de conquistar a sétima medalha de ouro no certame. O que mais motiva o atleta é a possibilidade de enfrentar adversários como Hector Santiago, atual campeão do WGP Kickboxing nos pesos leves.

“A preparação está sendo feita dentro do esperado, sem intercorrências. As lesões bem recuperadas e estou fazendo os sparrings necessários para chegar ao evento em alto nível”, afirmou Piacentini. “Não me sinto pressionado e não vejo como uma motivação extra o fato de ser o maior campeão dos Jogos Abertos. Vou lutar com tranquilidade. A motivação maior é enfrentar atletas de alto rendimento, como é o Hector. Isso me motiva mais do que pensar em medalha ou pódio. Se eu enfrentá-lo, sei que ele vai exigir tudo que eu tenho”, disse o lutador.

Apesar da rivalidade competitiva, Piacentini e Santiago possuem bom relacionamento fora dos ringues. Na última semana, inclusive, o atual campeão do WGP veio a Piracicaba para participar de treinamentos – neste sábado (27), ele defende o cinturão dos pesos leves contra Diego Piovesan. “Fizemos um sparring, que é praticamente uma luta, sem segurar o que temos. Posso enfrentá-lo de igual para igual e isso me dá confiança”, relatou o piracicabano, que conta com o suporte técnico de Gustavo Zandoval, Marcos Ribeiro e Wilson Teodoro, e tem apoio da academia Fit Me e da MP Suplementos.

APRIMORAMENTO

Pronto para defender o cinturão do WGP pela terceira vez, Hector Santiago diz que vive a melhor fase da carreira. “É sim o meu melhor momento. Venho lutando bem desde 2015, mas cada vez mais tenho adquirindo experiencia, ritmo, estou aprimorando. Acredito que vivo a minha melhor fase”, revelou o lutador. Natural de São Bernardo do Campo, Santiago comentou sobre o fato de treinar em Piracicaba ao lado de um ‘concorrente’. Para ele, a rivalidade também é restrita aos ringues.

“Eu e o Piacentini temos muita amizade, ele me ajuda muito e eu tento ajudá-lo ao máximo também. No ringue, a gente perde um pouco da amizade (risos), mas refaz de novo quando acaba a luta”, brincou. “Vir aqui (Piracicaba) agrega muito, pelo conhecimento do mestre Wilson e o Jhonatan Teodoro, e pelo material humano, como o Piacentini e outros atletas de alto nível. É algo que eu sinto um pouco de falta no meu dia a dia. Tento aproveitar isso e levar conhecimento do pessoal daqui, que já fez diferença para mim”, completou.

Voltar