fbpx
Opinião

Novo Rico

*Capa: Bragantino/Divulgação

O Bragantino surge forte no cenário nacional, a partir deste ano, na Série A do Campeonato Brasileiro. O dinheiro da gigante Red Bull, empresa multinacional de energéticos, faz do time de Bragança Paulista o novo ‘primo rico’ do futebol brasileiro. Por isso, vem forte em busca de títulos também no Paulista e na Copa do Brasil. Após a assinatura da parceria, ficou acordado de que o clube teria um aporte financeiro de R$ 200 milhões, desde que chegasse à elite. Cumpriu essa meta e terá essa verba não somente para contratações, mas também para investimentos em infraestrutura.

Ativo no mercado no início de 2020, o Braga mira principalmente as estrelas em ascensão no futebol brasileiro. Comprou o talentoso Artur, do Palmeiras, que jogou a temporada passada pelo Bahia, por R$ 27 milhões. Agora, mira Walce, zagueiro do São Paulo. Ofereceu mais de R$ 30 milhões e espera resposta do Tricolor. A estratégia de investimento em novos valores se dá por ordem da empresa que investe no clube. Compra por um valor considerado baixo e, se o atleta se destaca, há duas possibilidades: ida para o RB Leipzig, clube que luta pelo título da Bundesliga, ou é vendido para algum clube da Europa ou do Oriente Médio.

A decisão de ‘vender’ o clube tem dado polêmica ao longo dos anos. Nos anos de 1990, a TAM investiu pesado no XV de Piracicaba. Foi neste período que o Alvinegro teve a maior conquista de sua história: o título da Série C do Brasileiro, em 1995. Porém, o que se conta é que alguns conselheiros sempre questionaram essa parceria, alegando que o clube estava nas mãos de forasteiros e não na de ‘quinzistas de verdade’. A parceria acabou, a equipe voltou para as mãos de ‘quinzistas’ e o Alvinegro chegou à Série A3 do Paulista.

Sou a favor de investimentos como esse do Massa Bruta, desde que a tradição do time seja preservada – como por exemplo o nome, o escudo, a camisa, etc. O fato é que o Bragantino vai incomodar nesta temporada. Terá um time competitivo. Dizem pelos lados de Bragança Paulista que a meta é a classificação para a Copa Libertadores de 2021. Seria uma estratégia para expansão da marca Red Bull na América do Sul, a volta do Bragantino aos anos de protagonismo. A diferença é que na década de 1990, o time ganhou vários títulos sem parceria nenhuma. Agora, quer voar alto com as ‘asas’ da gigante dos energéticos.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar