fbpx

Líder Esportes

Opinião

Novo líder

Os ‘entendidos’ jornalistas esportivos da grande imprensa, invariavelmente, criticam as atuações do Palmeiras. Em especial, nas últimas duas temporadas – a passada e a atual. Não via nada no time de Vanderlei Luxemburgo, que ganhou o Paulistão 2020, mas, para a crítica especializada, não merecia o caneco.

Com a saída do Luxa (que deixou a equipe na liderança do grupo na Libertadores), o português Abel Ferreira chegou e, de cara, conquistou a América e a Copa do Brasil. Só isso. Mas a má vontade da imprensa com o Palmeiras é impressionante. Mesmo com mais essas duas novas taças na sala de troféus do clube, as críticas continuaram. Ao ponto de alguns comentarem que a ‘sorte’ fora a grande estrela da equipe nas duas grandes conquistas.

A perda de três finais seguidas – Recopa Sul-Americana, Supercopa do Brasil e o Paulista 2021 – foi um prato cheio para os ‘analistas’. A vexatória eliminação para o CRB, então, deixou a crítica esportiva em pé de guerra com o treinador alviverde. Limitado e arrogante foram alguns dos adjetivos dirigidos ao português. Agora eu pergunto: quem está jogando um futebol de encher os olhos? Eu mesmo respondo: ninguém! Ainda mais em tempos de pandemia. Nem o multicampeão Flamengo, que dava show, sim, mas na administração Jorge Jesus. Depois, disso, ficou um time falível como todos os outros 19 da Série A. Os ‘especialistas’, entretanto, preferiram somente ver somente os erros do Palmeiras.

O Campeonato Brasileiro seria um bom momento para o time verde dar uma resposta. Iniciou a competição com derrota para o Flamengo (de novo!), no Maracanã. Depois disso, no entanto, começou uma arrancada. Somente nas últimas quatro rodadas, foram 12 pontos e, ao vencer o Grêmio, nesta quarta-feira (7), no Allianz Parque, por 2×0, chegou à liderança. Diante do Imortal, o Palmeiras fez sua melhor partida no Nacional. Marcou 2×0 e perdeu pelo menos quatro chances claras para ampliar o placar no primeiro tempo. Na segunda etapa, só administrou, mas ainda desperdiçou outras chances, além de colocar uma bola na trave. Uma mudança muito visível no futebol do Palmeiras é a qualidade na saída de bola, evitando os chutões tão característicos em tempos não muito remotos.

A ponta do Brasileirão chegou e agora vamos ver como os críticos se comportam. Será que, de uma hora para outra, a opinião vai mudar? Não sei. Só sei que há de ter muita responsabilidade na hora de falar, porque as críticas podem (e devem) existir. No entanto, foram além da conta em alguns momentos. Como diz o próprio Abel, “quando vence não é o melhor do mundo, nem quando perde não está tudo errado”. Vivendo e aprendendo!

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar