fbpx

Líder Esportes

Karatê

Nova safra do karatê piracicabano brilha com pódios no Brasileiro

Atletas da Sport Way, Gustavo Conceição Souza e Bárbara Borges conquistam medalhas em Caucaia (CE)

Gustavo Conceição Souza e Bárbara Borges, atletas da equipe Sport Way de Karatê
Gustavo Conceição Souza e Bárbara Borges, atletas da equipe Sport Way de Karatê (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

A nova geração do karatê piracicabano já começa a dar frutos. Exemplo disso são os resultados conquistados por dois atletas da Sport Way no Campeonato Brasileiro Cadete e Júnior, realizado em Caucaia (CE), no último fim de semana. Gustavo Conceição Souza, 17, nasceu em Capivari, mas treina há dois anos na equipe local com os treinadores Diego Spigolon e Natalia Brozulatto, referências da modalidade. No Brasileiro, ele garantiu a medalha de bronze na categoria júnior -68 kg. Natural de Piracicaba, Bárbara Borges, 15, começou a treinar na Sport Way no início do ano e conquistou o título nacional no cadete +54 kg.

Ambos fizeram quatro lutas no Ceará – Bárbara venceu todas; Gustavo foi derrotado apenas uma vez, mas foi à repescagem e superou os adversários para subir ao pódio. “Gostei muito da minha performance. Eu estava muito leve, bem comigo mesmo, consegui soltar os golpes e fazer o que tinha de ser feito”, afirmou o atleta. “Depois de dois anos sem competir devido à pandemia, foi uma sensação incrível. Todo o empenho que eu tive dentro do tatame foi colocado em prática na competição. Fiquei bem nervosa (risos), mas foi sensacional”, completou a karateca.

Gustavo Conceição Souza e Bárbara Borges, atletas da equipe Sport Way de Karatê

Gustavo e Bárbara garantiram lugar no pódio na última edição do Brasileiro (Foto: Leonardo Moniz)

Bárbara, que iniciou na modalidade com o sensei Gilson Felipe, tinha como grande ídolo no esporte Natalia Brozulatto, 12 vezes campeã brasileira e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto. Hoje, a referência virou treinadora – Natalia acompanhou a dupla em Caucaia. “Todo atleta sonha em treinar aqui e eu sempre falava para o meu pai sobre a Natalia e o sensei Diego (Spigolon). No meu aniversário, dia 8 de janeiro, o meu pai me deu de presente a oportunidade de vir treinar com eles. Foi o meu melhor presente!”, contou a campeã nacional.

Gustavo é karateca da Sport Way há duas temporadas. Antes, tinha como sensei Edison Zuin, que desde cedo via nele características parecidas com as de Hernani Veríssimo, também piracicabano e hoje principal atleta do país na categoria -75 kg. “Desde que cheguei à Sport Way, notei muitas diferenças, tanto de nível técnico quanto de visão sobre o esporte. Em Capivari, sentia que queria ir além. Um dia, o meu sensei me disse que eu parecia muito o Hernani lutando. Comecei a pesquisar e o Hernani virou o meu grande espelho no esporte. Depois, surgiu a oportunidade de eu treinar na equipe e o Diego abraçou a ideia. É uma carga incrível de conhecimento que eu estou adquirindo, sei que o karatê é a vida das pessoas que estão aqui”, destacou.

OBJETIVOS

Bárbara e Gustavo não devem mais lutar em 2021 – mas já fazem planos para o ano que vem. Os dois pensam na classificação para o próximo Campeonato Pan-Americano, mas sem ansiedade. “É um passo de cada vez”, disse Bárbara. Jovens, eles não entendem como sacrifício o fato de abrir mão de atividades típicas da faixa etária. “Eu controlo ao máximo as saídas e a alimentação em época de competição. Sei que isso me dará um direcionamento para o futuro, mas não é algo difícil, porque venho trabalhando isso faz algum tempo”, afirmou a lutadora da Sport Way. Gustavo segue a mesma linha de raciocínio.

“Para mim, isso é bem tranquilo”, comentou o atleta, que viajou ao Ceará com o apoio da MM Souza e da Infinity Barbearia. “Sempre fui ‘na minha’ e quando entrei para o esporte, decidi que queria isso para a minha vida. Muitas vezes cancelei compromissos para treinar, deixei de comer uma pizza ou um lanche, por exemplo. Sei o quanto isso vai me ajudar para o rendimento no futuro. Além disso, eu sempre dormi cedo, 20h, 21h eu já estou deitado. Isso não é um sacrifício. Basta ter foco e ser regrado na rotina. O karatê, na verdade, me deu um motivo maior para continuar assim”, finalizou Gustavo.

Voltar