fbpx

Líder Esportes

Judô

No retorno ao tatame, judoca fica em 5º lugar

Daniel Krieck avalia como positiva a participação na Copa São Paulo de Judô

*Capa: Marcelo Lopes/FPJ

Na volta aos tatames, o judoca Daniel Krieck encerrou a participação na Copa São Paulo de Judô com a quinta colocação. A competição foi realizada no último fim de semana, em São Bernardo do Campo. O atleta da academia Heisei/Atmosphera realizou quatro lutas na categoria máster M3 (-90 kg), com duas vitórias e duas derrotas. O resultado no Grande ABC é considerado positivo para o judoca. Depois de quase duas décadas longe do tatame, Krieck, de 39 anos, voltou ao judô no segundo semestre de 2017, com os treinadores Beninho e Rene Mattos.

A primeira luta de Krieck foi decidida no golden score e terminou com vitória para o atleta de Piracicaba. Na segunda rodada, contra um adversário descansado, Krieck acabou derrotado. Na repescagem, o retrospecto foi parecido: vitória por ippon no terceiro combate e derrota no golden score na quarta luta. “Acredito que posso melhorar em relação ao ritmo de competição. Não senti um desgaste tão grande de gás e força, embora eu ainda precise de algum ajuste muscular. Tenho que pegar mais ritmo, soltar mais golpes e atacar mais”, analisou.

Apesar do bom desempenho, o lutador da Heisei/Atmosphera acredita que poderia ter ido ainda mais longe na competição realizada no Ginásio Poliesportivo Adib Moysés Dib. “Dava para chegar. Faltou muito pouco para conseguir o bronze e com mais um minuto de luta, eu poderia ter revertido a situação. Da terceira para a quarta luta, não tive três minutos de descanso, foi rápido. O que ainda preciso é ritmo de competição, pois fazia tempo que eu não disputava e o nível da categoria máster é muito alto”, completou.

Perguntado em relação às ambições que mantém no esporte, Daniel Krieck revela a vontade de participar de um Mundial Máster. “Na minha época, não existia categoria máster, mas depois que ela foi criada, hoje é possível chegar ao Mundial, que em 2018 será em Cancún. Lógico que é o primeiro ano, estou voltando, então é um período de equalização, de sentir o nível. No próximo ano, quero me preparar ainda mais forte para chegar bem ao Brasileiro e, quem sabe, ao Mundial”, finalizou o judoca.

Voltar