fbpx
Karatê

No Chile, Hernani busca o tri pan-americano

De olho na pontuação para o ranking mundial, atleta luta em Santiago

Hernani Veríssimo, atleta da equipe de karatê Sport Way Piracicaba
Hernani conquistou as duas últimas edições do Campeonato Pan-Americano (Foto: Arquivo/Geraldo de Paula)

O remodelado Ginásio Poliesportivo do Estádio Nacional de Santiago, no Chile, recebe a partir desta segunda-feira (11) a 23ª edição do Campeonato Pan-Americano de Karatê. Segundo a programação oficial, a pesagem acontece nesta quarta-feira (13), quando também será realizado o Congresso Técnico e o sorteio das chaves. As lutas têm início na quinta (14) e prosseguem na sexta-feira (15), com eliminatórias e repescagem. No sábado (16), serão realizadas as finais.

Atual bicampeão na categoria -75 kg, o piracicabano Hernani Veríssimo chegou ao Chile com o objetivo de defender os títulos conquistados no Rio de Janeiro (2016) e em Curaçao (2017). Após uma semana de treinamentos com a seleção brasileira olímpica, em Ribeirão Preto, o lutador não esconde a confiança para brigar pela terceira medalha de ouro consecutiva na competição. “Estou bem. Sinto que tenho encaixado bem melhor os golpes. Os treinos que fiz me deram um ritmo muito alto e isso pode me ajudar”, afirmou.

‘Sei que sou um dos favoritos, mas não sou o único ‘alvo’. Não vou entrar com esse peso de ser campeão nas costas’

Em Santiago, o atleta da equipe Sport Way/Selam/Apreciate/Lourenço Alimentos/Arawaza não terá vida fácil. A competição, considerada de extrema importância para somar pontos no ranking mundial, reunirá adversários como o colombiano Juan Felipe Landazuri, atual campeão dos Jogos Sul-Americanos, o venezuelano Jhosed David Ortuño e o americano Thomas Scott. Apesar das dificuldades, o piracicabano é ambicioso: a meta é voltar da capital chilena com o lugar mais alto do pódio.

“Eu conheço bem os adversários que posso enfrentar, são atletas de muita qualidade. O nível está alto, principalmente em comparação com o ano passado, não terá chave fácil. Mas, o meu objetivo é ser campeão. Acredito que estou suficientemente treinado e sei que dá para buscar (o título). Vai ser difícil, como sempre é, e ainda tenho algumas coisas para corrigir, mas dá para ser campeão”, afirmou Hernani, que é terceiro sargento do Exército Brasileiro.

CONFIANÇA

Questionado sobre o favoritismo, o atleta diz que absorve a situação com um misto de pressão e motivação. A preocupação com o braço direito (Hernani operou o ombro no final do ano passado) também é cada vez menos frequente. “Sei que sou um dos favoritos, mas não sou o único ‘alvo’. Não vou entrar com o peso de ser campeão nas costas. Em relação ao ombro, estou muito mais confiante. Tenho soltado o braço para treinar, recuperando a velocidade e a reação. A questão é de confiança e estou trabalhando bastante nisso”, finalizou.

Voltar