fbpx

Líder Esportes

Ciclismo

Mundial no Brasil arranca elogios de estrangeiros

O piracicabano Marcos Novello participou do evento como piloto de tandem

Mundial de Paraciclismo de Pista
A organização do Mundial no Rio recebeu elogios de delegações estrangeiras (Foto: Fernando Maia/MPIX/CPB)

O Mundial de Paraciclismo de Pista 2018 terminou neste domingo (25), no Velódromo do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, com cinco recordes mundiais quebrados. O evento, que deu início à disputa pelas vagas aos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020, marcou a primeira vez que o Brasil realizou a competição. O ciclista piracicabano Marcos Novello integrou a seleção brasileira paralímpica como piloto de tandem, uma bicicleta com dois assentos. Ele foi o guia de Marcelo Lemos Andrade, deficiente visual.

“A experiência foi incrível. Juntos, eu e o Marcelo temos menos de 20 horas em cima da bicicleta. Vinte horas é o que eu treino sozinho na semana aqui em Piracicaba. O Marcelo mostrou uma qualidade extrema, foi para a pista bem consciente e tem uma margem de evolução muito grande. Em relação ao evento, a organização foi perfeita. Ninguém pode se queixar de absolutamente nada. Os voluntários foram extremamente amáveis. A pista é realmente uma das melhores do mundo e está sendo usada, está bem conservada”, disse Novello. O melhor resultado da dupla foi na prova de 4.000 m, com a conquista da 13ª colocação.

A organização do Mundial de Paraciclismo de Pista arrancou elogios de delegações estrangeiras. “A competição foi muito boa. Tivemos alguns aspectos aqui que nunca havíamos tido antes e o ambiente e os voluntários foram fantásticos. Novos atletas surgiram, recordes mundiais caíram e tudo funcionou muito bem”, afirmou o chefe da delegação britânica, Jon Pett. A Grã-Bretanha liderou o quadro de medalhas do Mundial com 11 ouros, quatro pratas e três bronzes.

DOMÍNIO

Após quatro dias de competição, a Grã-Bretanha consolidou o seu domínio no último dia do evento. Na final do sprint 750 m por equipes mistas, o trio formado pelos britânicos Louis Rolfe, Jon-Allan Butterworth e Jody Cundy venceu os chineses Zhangyu Li, Guoping Wei e Shanzhang Lai com o tempo de 49s915. Na disputa pelo bronze, os espanhóis Amador Alkorta, Eduardo Asensio e Alfonso Llamas derrotaram os americanos Jason Kimball, Joseph Berenyi e Justin Widhalm.

No sprint 200m tandem feminino, o ouro ficou com as britânicas Sophie Thornhill e Helen Scott, que venceram por 2×0 a melhor de três contra as australianas Jessica Gallagher e Madison Janssen. O bronze foi para as belgas Griet Hoet e Ameleen Monsieur. No masculino, os britânicos Neil Fachie e Matthew Rotherham derrotaram os holandeses Tristan Bangma e Patrick Bos, por 2×0. O bronze foi para os também britânicos James Ball e Peter Mitchell.

Voltar