fbpx

Líder Esportes

+ Esportes

Mortes de Ruth e Gama abalam o esporte piracicabano

Campeã mundial de basquete perde batalha para Covid-19; corredor é atropelado

Ruth Souza, ex-jogadora de basquete do BCN Piracicaba
Ruth iniciou a carreira como atleta profissional defendendo a Unimep e o BCN Piracicaba (Foto: Divulgação)

O esporte piracicabano está de luto. Além da morte do narrador Gerson Mendes, na madrugada de segunda-feira (12), mais duas notícias provocaram dor e lágrimas para os amantes do desporto local nesta semana. Na última terça-feira (13), foi o basquete que perdeu uma batalha para a Covid-19. Morreu aos 52 anos a campeã mundial Ruth Roberta de Souza, vítima do coronavírus. A ex-atleta, que estava internada desde o mês de março em uma UTI em Três Lagoas (MS), cidade em que nasceu, apresentava um quadro clínico crítico e tinha 70% dos pulmões comprometidos pela doença.

Rutão, como a pivô ficou conhecida, era dona de um físico privilegiado (1,87 m) e não demorou para chamar a atenção em quadra. “Fui jogar em Andradina (SP), uma cidade perto de Três Lagoas, e o irmão da Maria Helena Cardoso (ex-treinadora da seleção brasileira) me viu jogar e falou com ela. Ela se interessou e entrou em contato com meu professor Ubiratan Brito de Mello, o Bira, que foi por 15 dias seguidos na minha casa para me convencer a aceitar a proposta da Unimep. Fui embora no dia 21 de setembro de 1984. Foi onde tudo começou”, contou, em entrevista concedida em agosto de 2010 para o site Esporte Ágil.

Ruth chegou a Piracicaba aos 16 anos para defender a equipe feminina da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep), onde foi campeã paulista antes de decolar na carreira. Em 1988, faturou o Campeonato Brasileiro pelo BCN. A ex-atleta disputou os Jogos Pan-Americanos de Havana (1991), os Jogos Olímpicos de Barcelona (1992) e conquistou o título de campeã mundial com a seleção brasileira em 1994, na Austrália. De volta a Três Lagoas, ela treinava a equipe da cidade natal.

JOSÉ DA GAMA

José da Gama, pedestrianista de Piracicaba

Gama, à direita, marcou o nome na história do esporte local (Foto: Reprodução/Facebook)

Nesta sexta-feira (16), mais uma notícia difícil. José da Gama Ribeiro Filho, que representou Piracicaba diversas vezes em eventos como os Jogos Regionais e Abertos na década de 1980, além de participar e chegar a liderar a tradicional Corrida Internacional de São Silvestre, foi atropelado no bairro Glebas Califórnia e teve a morte cerebral confirmada. Referência do pedestrianismo, Gama tinha 59 anos e estava internado na UTI do Hospital dos Fornecedores de Cana.

Natural de Poço Verde (SE), o ex-atleta fez história em Piracicaba não apenas pelo comprometimento com o esporte, mas também pelo carisma. “É uma notícia muito triste, uma perda irreparável para o esporte piracicabano”, lamentou o professor Mario Luís de Almeida Leme, responsável pelas aulas de atletismo do PDB (Programa Desporto de Base). “Estamos muitos tristes. O Gama foi um dos maiores corredores que Piracicaba já teve. Tinha 59 anos, mas era um menino ainda. Lamentamos muito”, completou o secretário de Esportes, Lazer e Atividades Motoras, Hermes Balbino.

Voltar