fbpx
Boxe

‘Minha luta é para dar orgulho para minha mãe’

Em entrevista, Ramon Batagello fala sobre planos no boxe e fora do ringue

Ramon Batagello, pugilista da equipe Centro Esportivo MR
O atleta piracicabano Ramon Batagello é lutador de boxe (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Aos 19 anos, o pugilista piracicabano Ramon Batagello carrega no corpo bem mais do que a experiência de um jovem. Após estrear na última temporada na categoria elite, depois de cinco meses de inatividade, o lutador quer dar em 2019 mais um passo para chegar à seleção brasileira de boxe. O sonho do atleta, porém, vai além de um título importante ou a participação em uma Olimpíada: Ramon quer fazer a mãe, Valquíria, feliz. Nesta quarta-feira (23), o boxeador concedeu entrevista após o treino realizado no Centro Esportivo MR. Confira:

AVALIAÇÃO

“O ano de 2018 foi o meu primeiro de elite, e tem uma diferença importante do juvenil para o adulto. Fui bem, mas tive alguns erros, fiquei um tempo parado, problemas pessoais na família, e as questões financeiras que não ajudam muito. Fiz algumas lutas boas, cheguei à semifinal do Paulista e fiquei em terceiro lugar nos Jogos Abertos, quando perdi para o atleta da seleção (Abner Teixeira), que vai representar o Brasil nas Olimpíadas. Eu também fiz o meu primeiro Brasileiro Elite. Ganhei a primeira luta por nocaute, venci a segunda, mas na semifinal, eu errei. Como fiquei muito tempo parado, cinco meses, avalio como bom”.

BOXE

“Para mim, é tudo. Se não fosse o boxe, acabaria desandando na vida. Venho de uma família com problemas, em um mundo ‘errado’. Perdi um irmão por isso e tenho outro que é exemplo disso. Minha mãe ficou doente com os problemas. Tem dias que eu não treino para ficar com ela. O meu sonho no boxe é importante, mas a prioridade é a felicidade da minha mãe. Eu me sinto forte mentalmente para continuar, apesar das decepções que tive no passado. Por enquanto, vivo do boxe, garanti o Bolsa Atleta, mas com um salário mínimo não dá para me manter”.

Ramon Batagello, pugilista da equipe Centro Esportivo MR

Em 2019, Ramon Batagello quer disputar Paulista e Jogos Abertos do Interior (Foto: Líder Esportes)

RESPONSABILIDADE

“Tenho 19 anos e sou pai. Na verdade, eu tenho dois. Um é meu filho, que tem um ano e meio, é o Miguel, e eu tenho que cuidar dele. O outro é meu sobrinho, que teve alguns problemas familiares e veio parar comigo, que é o Robert, de 3 anos. São crianças. Isso é a minha motivação. Eu tento levar exemplo para minha casa. Quero dar um olhar de alegria para eles e para minha mãe. Quando eu volto de uma luta que venci, minha mãe fica muito feliz. E o meu sobrinho gosta muito das medalhas. Brinca com elas. Isso me dá força”.

EXEMPLO

“Tento focar a minha cabeça para usar essa energia que tenho para o bem, que é o esporte, o boxe, a raça, a vontade de lutar e ir para cima na vida. Eu quero isso para mim. Geralmente, acordo cedo para olhar o meu sobrinho e vou treinar, cuido do meu menino, almoço e treino de novo. Depois, fico com as crianças. Sou muito apegado a elas. Perdi meu irmão há dois anos e acho que isso aumentou o sentimento que eu tenho pelas crianças. Como disse, venho de uma família com problemas. O boxe me ajudou muito a dizer não para várias coisas, mas a escolha é minha”.

Voltar