fbpx

Líder Esportes

Opinião

Melhor evitar

*Capa: Agência Corinthians

Confesso que demorei para tomar uma posição contrária ou favorável. Mas, depois de pensar, analisar e ponderar várias situações, acredito que é (ou seria) melhor evitar. Estou falando do treino aberto que Palmeiras e Corinthians farão neste sábado (7) pela manhã, um dia antes da final do Campeonato Paulista, no domingo (8), a partir das 16h, no Allianz Parque.

O fato de os dois treinamentos serem realizados no mesmo dia e horário, às 10h, é muito perigoso em termos de segurança. Apesar de as duas arenas estarem separadas por 25 km de distância na capital paulista, o problema é que as estações Palmeiras-Barra Funda e Corinthians-Itaquera são início e fim da Linha Vermelha do Metrô. Isso faz toda a diferença.

Assim, o encontro de torcedores será inevitável. Que vão se encontrar, isso é liquido e certo. Agora, o que irá acontecer dependerá muito da educação, do caráter e índole de palmeirenses e corintianos. Claro que a massacrante maioria é formada por pessoas de bem. Mas, infelizmente, há aqueles poucos que só saem de casa para arrumar confusão.

O Ministério Público (MP) ainda tenta derrubar na Justiça essa determinação das duas diretorias. Em que pese a boa intenção dos clubes, de aproximar seus torcedores de seus ídolos às vésperas da decisão e ainda pelo fato de que serão arrecadados toneladas de alimentos (a entrada nas duas arenas será um quilo de alimento não-perecível), o MP entende que a Polícia Militar não terá condições de dar segurança aos torcedores fora dos estádios.

É uma polêmica que ninguém quer ceder. Palmeiras não cede; Corinthians não cede; PM idem. No meio disso está o torcedor, que ficará exposto. Não o uniformizado, que está pronto para ‘tudo’, mas o torcedor comum, que vai a campo sem nenhuma maldade e poderá ter problemas. Para evitar o pior, entendo que não se deve pagar para ver. É muito arriscado.

Caso as programações se confirmem, só nos resta torcer para que tudo dê certo e que todos tenham uma manhã de sábado com muita alegria. Seja na Barra Funda ou em Itaquera. Afinal, o futebol é entretenimento, não guerra. Que os temores de MP, PM e público em geral não se confirmem. E que, no domingo, façam uma grande final, honrando as tradições do dérbi, do maior clássico do Estado e um dos maiores do mundo.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar