fbpx
Kickboxing

Mangue Seco inicia ano de despedida no kickboxing

Perto de completar 55 anos, lutador piracicabano inicia última temporada no esporte

Mangue Seco é lutador de kickboxing e encerra a carreira na modalidade em 2020 (Foto: Líder Esportes)

O experiente lutador Vitor Wagner ‘Mangue Seco’ estreia na temporada neste fim de semana, com a disputa da Copa Tatame, em Piracicaba. Aos 54 anos, o piracicabano inicia o último ano da carreira no kickboxing. Líder do ranking nacional da categoria máster 74 kg, nas modalidades kick light, light contact e point fight, o lutador traçou o planejamento para 2020 com mais dois objetivos: participar da Copa América, em março, e despedir-se do circuito no Campeonato Pan-Americano, em novembro. As duas competições serão realizadas em Foz do Iguaçu (PR).

“Fisicamente, estou bem. Não parei no fim do ano, continuei treinando normalmente e com as minhas aulas, para manter o condicionamento. Vou completar 55 anos e quero fechar o ciclo com chave de ouro, com três campeonatos sul-americanos e três pan-americanos. Em 2020, vou fazer como dizem os amigos de luta: vou me divertir”, afirmou Mangue Seco. A preparação física do atleta é feita pelo educador Erlo Gnutzmann, enquanto Marlon Pedroso (boxe) e Wilson Teodoro (kickboxing) cuidam do aspecto técnico.

RETROSPECTO

Na última temporada de kickboxing, o piracicabano vê com bons olhos repetir o retrospecto de 2019, quando medalhou na Copa do Brasil, Copa América, Campeonato Paulista e Brasileiro, além do Sul-Americano. “Ano passado foi muito positivo. É uma pena ter que parar, sei que muitas pessoas seguem o meu exemplo. Participei de vários campeonatos aqui e fora do Brasil. Mesmo com dificuldades, a gente sempre dá um jeito. Agora é focar para fechar bem a participação”, disse o lutador, que conta com o apoio do empresário Antonio Sergio Guarnieri.

Perguntado sobre os planos para o futuro, Mangue Seco garantiu que pretende continuar ligado ao mundo do esporte. “Já fui convidado para correr com o pessoal da terceira idade (risos). Sempre fui atleta e vou continuar ligado ao esporte, não tem jeito. Quero montar uma academia também, passar o que eu aprendi. O que vai acabar é essa rotina de luta e dieta”, completou o piracicabano.

Voltar