fbpx
Kickboxing

‘Mangue Seco’ fecha Estadual com 3 medalhas

Atleta piracicabano brilha no Campeonato Paulista e mantém sonho de Pan

Wilson Teodoro e Mangue Seco
Wilson Teodoro e Mangue Seco: trabalho vem dando resultados na atual temporada (Foto: Líder Esportes)

Aos 53 anos, o piracicabano Vitor Wagner segue colecionando resultados expressivos no kickboxing. Após abrir a temporada com três medalhas na Copa Tatame, o atleta trouxe para casa um ouro e duas pratas de Cubatão, cidade que sediou no último fim de semana o Campeonato Paulista. Apelidado de ‘Mangue Seco’ na capoeira, o lutador sagrou-se campeão estadual no point fight e ficou com o vice nas modalidades kick light e light contact, sempre pela categoria máster 74 kg.

A performance não chegou a surpreender o piracicabano. “Foram bons resultados. Pela minha dedicação no final do ano passado, quando praticamente não parei, acredito que estou colhendo os frutos agora. Claro que não é fácil, o nível dos adversários é alto e as lutas estão ficando cada vez mais difíceis, porém, fiquei satisfeito com o meu desempenho. Agora é voltar a treinar e pensar nas competições seguintes”, disse o lutador, que conta com o patrocínio da Varella Motos.

A agenda do atleta está cheia para a sequência da temporada. No dia 20 de abril, Mangue irá participar do Arnold Classic Kickboxing, festival esportivo que reúne artes marciais. A edição sul-americana do evento acontecerá no Transamérica Expo Center, em São Paulo. O piracicabano também disputará a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Contudo, o principal objetivo é o Pan-Americano de Cancún, no México. “É a prioridade (chegar ao Pan), mas, para isso, tenho que me dedicar e ir bem no Brasileiro para garantir minha classificação”, relatou.

Pensando no Pan, o atleta da equipe Company Top Fight tem aprimorado a preparação física. “No Paulista, cheguei bem nas três categorias e não faltou gás. Na última luta, eu estava lesionado, mas é algo que acontece. Meu objetivo é sempre medalhar, para provar que estou inteiro e que continuo rendendo. A grande dificuldade para quem luta é perder peso. Uma semana antes do Paulista, eu estava com 83 kg e iria lutar na categoria 74 kg. Antigamente, meu desgaste era grande. Hoje, quase não sinto isso. Cada dia estou mais preparado”, finalizou.

Voltar