fbpx
Judô

Judoca de Piracicaba disputa Copa São Paulo

Atleta da Heisei, Daniel Krieck participa da categoria máster M3 (-90 kg)

Daniel Krieck, judoca da academia Heisei
Daniel Krieck, judoca da academia Heisei, participa da Copa São Paulo (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

O judoca Daniel Krieck, 39, disputa neste domingo (25), em São Bernardo do Campo, a Copa São Paulo de Judô. O atleta da academia Heisei/Atmosphera participa da competição na categoria máster M3 (-90 kg). Paulistano que vive há seis anos em Piracicaba, Daniel praticou o esporte dos 5 aos 20 anos, e depois de quase duas décadas longe do tatame, voltou ao judô no segundo semestre de 2017, com os treinadores Beninho e Rene Mattos. O evento no Grande ABC, portanto, marca a retomada da carreira do atleta.

“A Copa São Paulo é uma competição de alto nível, que reúne judocas com muita qualidade. A intenção é voltar à ativa como competidor. Quando eu tinha 20 anos, era bastante competitivo. Agora quero conhecer melhor o nível dos adversários. Lógico que, se vier uma medalha, será algo que me deixaria bastante feliz. Estou treinando para isso”, afirmou o lutador, que faz dois treinos técnicos por semana e complementa a parte física com corridas e bicicleta.

“Desde que voltei a treinar judô, perdi 12 kg. Me sinto bem ao ponto de competir, é algo que eu não tinha planejado quando voltei a praticar. O ritmo que voltei a ter me faz pensar que dá para competir de igual para igual com os adversários, embora eu ainda precise de uma maior sequência de competição”, contou Daniel, que não esconde a ansiedade. “Isso sempre existe. Claro que é diferente de quando eu tinha 5 anos e nem dormia na véspera da competição (risos). Acho importante esse receio, melhora a concentração”, ponderou.

Perguntado em relação às ambições no esporte, Daniel revela a vontade de participar de um Mundial Máster. “Na minha época, não existia categoria máster, mas depois que ela foi criada, hoje é possível chegar ao Mundial, que em 2018 será em Cancún. Lógico que é o primeiro ano, estou voltando, então é um período de equalização, de sentir o nível. No próximo ano, quero me preparar ainda mais forte para chegar bem ao Brasileiro e, quem sabe, ao Mundial”, finalizou.

Voltar