fbpx

Líder Esportes

Atletismo

Jovem piracicabano brilha em evento nacional

Promessa do salto, Cauan Santana foi incentivado na escola a praticar esporte

Há cinco meses, Cauan Gomes Santana, 14, não sabia o que era o atletismo. Gostava de esporte e, como a maioria dos meninos de sua idade, jogava futebol. Foi quando, incentivado pela vice-diretora da escola em que estuda, decidiu ir ao Sesi, na Vila Industrial, para conhecer a modalidade. O contato com o salto em altura já deu resultado: em setembro, Cauan participou dos Jogos Escolares da Juventude, maior evento estudantil esportivo do Brasil. A competição foi realizada na UFPR (Universidade Federal do Paraná), em Curitiba. Saltando 1,76 m, o jovem talento piracicabano subiu ao lugar mais alto do pódio.

Rosana Schiavinato, vice-diretora da Escola Estadual Dr. Luiz Gonzaga Campos Toledo, na Vila Industrial, foi quem abriu as portas do esporte para Cauan. “Ela me incentivou a fazer atletismo e um amigo falou de salto em altura, mas eu fiquei com medo, porque não sabia do que se tratava. Fui ao Sesi para conhecer e no meu primeiro treino saltei 1,70 m, fui muito bem. Desde então, estou no esporte. Treino há quatro meses e estou conseguindo resultados bem legais”, disse Cauan, que é orientado na pista pelo técnico Rodrigo Weber.

Em oito provas disputadas na curta trajetória no salto em altura, o piracicabano conseguiu a impressionante marca de oito medalhas. Destaque para as conquistas que alcançou nos circuitos regional, estadual e brasileiro. Em dezembro, ele colherá mais um fruto dado pelo esporte: Cauan vai à Bolívia participar do Campeonato Sul-Americano. Será a primeira viagem que ele fará ao exterior, situação que contou com importante colaboração de Valéria Fernandes, da Diretoria de Ensino. Na ocasião, ele tentará superar a maior altura já saltada, que hoje é de 1,80 m, registrada em Santo André.

CURIOSIDADE

Além dos resultados, Cauan chama a atenção nas competições que disputa pela forma como se apresenta: ao contrário do que faz a maioria dos competidores, ele salta para frente, e não para trás. “Eu não sei também porque eu faço isso (risos). O pessoal fala que eu salto da maneira mais difícil que existe e eu queria tanto aprender a fazer o flop (salto de costas)… Eu salto de frente, passando as pernas primeiro, entendeu? Nem eu entendo (risos). Eu treino os dois tipos de salto, mas a minha marca saltando de frente é melhor”, contou. A peculiaridade chama a atenção dos concorrentes.

“Nas competições o pessoal comenta bastante.  É engraçado, eles sempre vêm perguntar porque eu salto desse jeito e falam: ‘Nossa, você é fera!’, elogiam bastante. O salto de frente é chamado de salto tesoura, é difícil de fazer, mas foi o primeiro que aprendi”, afirmou. Perguntado sobre o sonho que tem na modalidade, o piracicabano se mostra ambicioso. “Eu realmente comecei por acaso, mas depois fui vendo vídeos na internet e passei a me dedicar mais. A minha família incentiva bastante, eles me dão muita força. Eu já escutei que ser atleta é difícil, mas tenho um sonho de ganhar uma medalha na Olimpíada”.

Apesar da pouca idade, Cauan sabe que, para atingir o objetivo, terá de fazer sacrifícios. Ele garante estar disposto. “Tenho que treinar muito, mas eu sou um cara bastante organizado com meus horários. Acordo às 6h, venho para a escola e saio daqui às 12h. Depois, tenho treino das 14h30 às 18h e volto para casa descansar. Eu faço um trabalho na academia e treino na pista. Eu agradeço o que o Rodrigo, a Rosana e a Valéria fizeram por mim. É graças a eles que vou poder ir para a Bolívia, é o meu foco agora. Quem sabe trago uma medalha?”, completou a promessa do esporte em Piracicaba.

Voltar