fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Isac Lucca estreia no ringue na Taça Nacional Paulo Zorello

Jovem lutador piracicabano tem boa performance, mas sofre revés no evento realizado em Brasília

Isac Lucca, atleta de kickboxing da equipe Brock Team Fighters
Isac Lucca é atleta de kickboxing da equipe Brock Team Fighters (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

O Paraná conquistou neste fim de semana o título por equipes da Taça Nacional Paulo Zorello, evento realizado em Brasília (DF) pela Confederação Brasileira de Kickboxing (CBKB). O vice-campeonato ficou com o Rio Grande do Sul, enquanto a Bahia encerrou a competição com o terceiro lugar. São Paulo foi representado no torneio por dois piracicabanos: o treinador Júlio Costa ‘Brock’ e o atleta Isac Lucca, estreante no ringue. O lutador disputou o GP válido pela categoria 60 kg, na modalidade K1. Apesar da boa performance, Isac foi eliminado na primeira luta.

“A experiência foi boa, fiz uma ótima luta E achamos que eu tinha ganhado, mas infelizmente não foi dessa vez. Agora é bola pra frente, treinar forte para o Brasileiro no começo de setembro. Agradeço a todos que torceram por mim e também ao meu professor Júlio pela preparação”, afirmou Isac. Os próximos compromissos do lutador piracicabano acontecem entre os dias 4 e 7 de setembro, na Arena Carioca, no Rio de Janeiro, quando serão disputados o 30º Campeonato Brasileiro Adulto e o 24º Campeonato Sub-17.

“O Isac enfrentou um ótimo adversário e não se amedrontou. A chave estava muito forte, com lutadores experientes e de bagagem internacional, mas não se intimidou. Ele está em transição do tatame para o ringue, essa adaptação é necessária por mais que ele esteja acostumado às competições. A performance foi boa, a mesa arbitral avaliou a luta como a melhor da categoria. A derrota na estreia, ao meu ver, foi duvidosa, mas na próxima luta o objetivo é não deixar margem para a dúvida. O foco agora é o Brasileiro”, disse o treinador, que elogiou a organização do torneio.

“Foi uma experiência incrível, o evento estava muito bem organizado. São Paulo optou por levar atletas amadores e dar a oportunidade. A participação serviu de estímulo para dar sequência ao trabalho. O Paraná, por exemplo, levou um time forte, com atletas de alto nível, que já estão em ritmo de competição. Duas semanas atrás, eles participaram do Estadual, enquanto outras equipes sentiram essa falta de ritmo. A tendência é que nossa equipe esteja mais preparada para os próximos eventos com a retomada do calendário”, finalizou Brock.

Voltar