fbpx
Opinião

Inaceitável

*Capa: Cesar Greco/SE Palmeiras

Paciência tem limite, diz o torcedor palestrino. A incompetência para bater pênalti é irritante; chega a ser patológico; é caso para médico de cabeça! É inaceitável (ou inacreditável, inadmissível, como quiser…) um time do calibre do Palmeiras conseguir errar quatro pênaltis de sete cobrados, como foi visto na noite de quarta-feira (9), quando foi eliminado pelo CRB em pleno Allianz Parque, pela terceira fase da Copa do Brasil.

Não vou nem falar da derrota no tempo normal para os alagoanos por 1×0. O que chama a atenção é o fato de o Alviverde perder os últimos quatro mata-mata na marca da cal. Foi assim contra o Flamengo, pela Supercopa, quando teve duas chances para fechar a série e levantar a taça; e foi assim diante do Defensa y Justicia, pela Recopa Sul-Americana.

O novo revés nos pênaltis, agora por 4cx para o CRB, escancara a falta de qualidade e também a falta de equilíbrio do Palmeiras na hora de decidir. O clube já até contratou uma psicóloga para tentar resolver o problema e nada… Isso com certeza nem Freud explica! É evidente que o time treina cobranças em seu trabalho diário. Não é esse o caso. O que intriga é a incapacidade de um time estrelado que treme literalmente na marca fatal.

Lucas Lima é um ponto nulo no Palmeiras (não sei nem por que entrou na partida); Luiz Adriano perdeu as últimas quatro cobranças (não sei nem por que foi escalado para cobrar); e Marcos Rocha e Breno Lopes, que voltaram após longo período de tratamento de lesões (ou seja, ambos sem ritmo de jogo), também desperdiçaram. É uma dura realidade para o Verdão. Aliás, ser eliminado na Copa do Brasil para um time alagoano não é novidade para a torcida alviverde, que nunca esqueceu a queda para o ASA de Arapiraca, ainda na primeira fase da competição, no antigo Palestra Itália, em 2002.

A consequência desse duro revés é que a pressão, a partir de hoje, será fortíssima. Abel Ferreira nunca esteve tão na berlinda como agora. Se não vencer o dérbi pelo Campeonato Brasileiro, em seus domínios, o português poderá até ser demitido pela primeira vez em sua carreira à beira do campo. Será o clássico da ressaca, já que o Corinthians também caiu na Copa do Brasil no meio de semana.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar