fbpx
Futebol

Ídolo, André Cunha se despede do XV de Piracicaba

'Meu respeito pela torcida é imenso e acho que o dela por mim também', diz meia

André Cunha, meia do XV de Piracicaba
André Cunha fez história com a camisa do XV de Piracicaba em duas passagens (Foto: Michel Lambstein)

Sem atuar no segundo semestre de 2019, em virtude de uma cirurgia no joelho direito, o meia André Cunha encerrou nesta sexta-feira (6) a segunda passagem pelo XV de Piracicaba. Na primeira vez que defendeu o Alvinegro, o jogador foi peça fundamental no elenco que sagrou-se campeão paulista da Série A2, em 2011, além de conquistar o acesso para a Série A1 do Estadual. No total, o meia de 40 anos participou de 120 jogos com a camisa do Nhô Quim, tendo marcado 22 gols.

“Quando venceu o contrato (31 de julho de 2019), nós não renovamos. O André fez uma cirurgia e o XV deu todas as condições para ele operar e se recuperar, tratando no clube. Quando ele estiver 100% recuperado, estará livre para seguir a vida dele. O André é um atleta de 40 anos e não sei se ele ainda pensa em jogar. Em algumas conversas, ele me disse que pensava em parar e, em outras, disse que pensava em continuar a carreira”, relatou o gestor de futebol Beto Souza, em entrevista concedida no dia 28 de novembro à Jovem Pan News.

Segundo Souza, após o término da Série A2, foi cogitada a possibilidade do meia encerrar a carreira e exercer um cargo remunerado no clube. “Houve a conversa há algum tempo. Havia a possibilidade, mas acabamos não chegando ao acordo. Hoje, não há essa possibilidade”, concluiu o gestor. “Fizemos uma reunião e foi dito para mim que queriam que eu ficasse, para trabalhar como coordenador das categorias de base. Depois, isso foi retirado, pois não teria essa chance também. Nenhum outro cargo me foi oferecido”, afirmou André Cunha, que seguirá o tratamento em Araçatuba.

“Ainda me encontro machucado, não estou recuperado da minha lesão. Fiz tratamento no XV até hoje (6) e amanhã  (7) vou embora para a minha cidade. Vou terminar o tratamento com um fisioterapeuta que é meu amigo, na academia  dele. Quero voltar a ter uma parte física boa, com condições de correr, pois ainda sinto dores. Não consigo fazer isso (correr) e jogar bola, que é o que eu mais gosto”, explicou o meio-campista, que ainda não definiu se seguirá atuando como atleta.

André Cunha, jogador do XV de Piracicaba

André Cunha marcou 22 gols em 120 jogos pelo time alvinegro (Foto: Arquivo/XV de Piracicaba)

“Meu contrato com o XV acabou no dia 31 de julho e não renovamos. Minha vontade era permanecer, renovar e terminar minha carreira no clube de uma forma diferente, podendo jogar um pouco mais. Não houve acordo, então estou indo embora para a minha casa”, completou André Cunha. A torcida teve papel decisivo para a segunda passagem do meia. No final de 2012, Cunha foi informado que não fazia parte dos planos para a disputa da Série A1 do Paulista e acabou deixando o XV. Após o Estadual, em 2017, os torcedores quinzistas fizeram uma campanha nas redes sociais pedindo o retorno.

ÍDOLO

“Ficou marcada a minha volta, pois havia sido feita uma campanha para eu voltar. Fiquei muito feliz, também pelo meu rendimento, pois consegui um bom desempenho nos jogos que joguei em 2017, 2018 e nos poucos que entrei em 2019. Acho que não deixei nada a desejar. Essa volta acabou fortalecendo mais o meu vínculo com a cidade, principalmente com a torcida, que foi importante para eu ter voltado. Meu respeito pela torcida é imenso e acho que o dela por mim também, por tudo que fiz dentro e fora de campo”, disse.

“Não gosto de dizer que sou ídolo, mas os torcedores têm falado e isso é um motivo de orgulho para mim. Fiquei muito feliz com a camisa (homenagem) que o XV de Piracicaba fez para mim. Minhas duas passagens pelo clube foram de muitas alegrias, com algumas tristezas, decepções, mas a maior parte de alegrias. Quero enaltecer o carinho que todos têm por mim, pois tenho muita gratidão por isso”, concluiu Cunha.

Voltar