fbpx
Karatê

Hernani Veríssimo é recebido com festa em Piracicaba

Medalhista no Pan, atleta piracicabano desfila em carro aberto pela cidade

Hernani Veríssimo, karateca medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019
Hernani desfilou em carro aberto pelas ruas de Piracicaba: prata nos Jogos Pan-Americanos (Foto: Líder Esportes)

Medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima, o karateca piracicabano Hernani Veríssimo foi recebido com festa na manhã desta terça-feira (13), no retorno a Piracicaba. O atleta da equipe Sport Way/Selam, vice-campeão na categoria -75 kg, no Peru, desfilou pela cidade no caminhão da Brigada de Incêndio, acompanhado de amigos, familiares e companheiros de treino. A recepção também foi festiva para Diego Spigolon, treinador de Hernani e atual técnico da seleção brasileira feminina da modalidade.

“Foi como se eu pudesse reviver o momento maravilhoso que eu vivi em 2015. Fiquei muito feliz com a conquista dele, porque a vitória do Hernani é minha também. Sei o que é passar por isso e ele passou por momentos bastante complicados na preparação, pude conviver com ele nesse período. Por isso, sei o valor que tem essa medalha”, afirmou Natalia Brozulatto, atleta que conquistou medalha de ouro nos Jogos de Toronto, no Canadá, pela categoria -68 kg. “Que as coisas boas virem rotina”, completou.

Feliz com o resultado, Diego Spigolon ressaltou a forma como a modalidade é desenvolvida em Piracicaba. “São quatro anos de um Pan para o outro e conquistamos duas medalhas com dois atletas locais, que fazem toda a preparação aqui, então é motivo de muita satisfação para nós. Os resultados consolidam o trabalho e mostram que Piracicaba é referência no karatê”, disse o treinador. “O Hernani estava focado, superou muitas dificuldades e contou com o trabalho brilhante realizado pela Charlini (Hartz, fisioterapeuta), suporte psicológico fundamental e o aval do departamento médico do COB (Comitê Olímpico do Brasil)”.

HERNANI

Sorridente, Hernani tirou fotos com os fãs e acenou para o público que o cumprimentava nas ruas. O piracicabano disse que a ‘ficha’ pela conquista ainda não caiu e destacou a caminhada rumo à prata em Lima. “O mais difícil foi pensar luta por luta. Também teve a luta contra o peruano (José Valdivia), com a pressão e o ambiente favorável a ele. Na semifinal (contra Allan Maldonado, da Guatemala), tinha estudado o adversário, achei a distância e consegui uma virada. Acho que é a maior conquista da minha carreira pela repercussão, preparação intensa e pressão”.

O karateca também recordou as dificuldades vividas antes de embarcar para o Peru. Hernani, que já enfrentou problemas no ombro direito, rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. “Isso me abalou num primeiro momento. Foi complicado, tive que dizer que estava bem mesmo quando sentia dor, colocava gelo escondido. Foi bem difícil, mas eu não poderia ser cortado. Foi algo que conquistei, era meu e ninguém ia tirar de mim. Amadureci muito: sofri quando tinha que sofrer e chorei quando tinha que chorar. Deu certo”, finalizou.

Hernani Veríssimo, karateca medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019

Hernani superou dificuldades para conquistar a medalha de prata no Pan de Lima (Foto: Líder Esportes)

Voltar