fbpx
Muay Thai

Giovane Proença volta aos ringues em Limeira

Lutador piracicabano participa do Combat Stadium Muay Thai neste sábado

Giovane Proença, lutador de muay thai do CT In Fight Piracicaba
Giovane Proença volta aos ringues para a disputa do CT Combate, em Limeira (Foto: Líder Esportes)

O lutador piracicabano Giovane Proença, 19, entra no ringue no próximo sábado (25), em Limeira, para a disputa do Combat Stadium, evento de muay thai tradicional. O adversário será Yuri Matheus, em combate válido pela categoria absoluto (+100 kg). “É um atleta experiente, mas o foco é a minha preparação, estou treinando bastante e o objetivo é sair do ringue com a vitória”, afirmou Giovane, que começou cedo no mundo da luta, aos 11 anos, e também já lutou kickboxing. Atualmente, ele é treinado pelo técnico Luis Reginaldo Pezzato, o Régis Muay Thai.

O duelo do fim de semana terá três rounds com duração de dois minutos cada. “É início de trabalho, nós estamos retomando os treinos após a pausa no fim do ano passado. Isso faz diferença, estamos pegando o ritmo ainda. Voltei a treinar no dia 6 e estou focado”, contou o piracicabano. “A intensidade dos rounds é alta. A exigência física não é tão grande, mas, para os pesos pesados, o desgaste sempre é maior”, completou Giovane, que realizou a preparação no Centro de Treinamento In Fight Piracicaba.

O evento em Limeira também marca a volta do lutador aos ringues. Em 2019, Giovane disputou o In Fight Muay Thai, mas sofreu uma lesão no ombro direito e teve de abandonar o torneio. “De lá para cá, venho treinando. É um problema (lesão) que eu ainda não testei para dizer se foi 100% resolvido (risos). Mas, não é algo que tire minha confiança, não tenho medo. A dor é forte, mas eu estou acostumado. Faço um trabalho de fortalecimento e melhorou bastante”, relatou.

Na reta final de preparação, Giovane dedicou as horas de treino ao aparador, sparring e também ‘corridinhas’. Além do muay thai, o piracicabano divide o tempo com a atual profissão, em uma distribuidora de pães. “O muay thai é algo que eu gosto muito de fazer e competir é um desejo que eu sempre tive. Não vejo a luta como algo para eu ganhar a vida, mas também não faz sentido, pelo menos para mim, treinar apenas por treinar. A competição me dá prazer”, finalizou o atleta.

Voltar