fbpx
Corpo & Mente

Fuja dos padrões: sinta-se bem

Quando se fala em esporte ou atividade física, logo se faz a associação a imagens de corpos perfeitos e esculturais. A verdade é que ao longo da história, a sociedade foi sempre influenciada pelos padrões corporais e estéticos. Atualmente, o padrão de ‘corpo perfeito’ é cada vez mais divulgado pela mídia e segmentos especializados, estimulando pessoas a praticarem atividades físicas excessivas e dietas extremas a qualquer custo em busca deste objetivo.

Com esse culto ao corpo e aos padrões de beleza, muitas coisas estão sendo esquecidas, como valores, saúde e a própria qualidade de vida. E aí surgem as questões: estamos seguindo isso para agradar aos outros ou a nós mesmos? Até quando as pessoas sofrerão preconceito por não estarem seguindo o tal ‘padrão’? Quando se preocupar com a saúde e quando se preocupar com o bem-estar físico, psíquico e social?

A balança talvez não seja o indicativo mais importante, mas sim como as pessoas se sentem nas atividades diárias

Assim como a mídia está em constante mudança e crescimento, doenças e problemas de saúde também aumentaram nos últimos dez anos. Em uma nota divulgada em 2017 pelo Ministério da Saúde, a prevalência da obesidade no Brasil aumentou em 60% – a cada cinco brasileiros, um está obeso. Distúrbios hormonais e psicológicos aumentaram relativamente nas últimas décadas. Isso é preocupante, visto que, quando trata-se de um indivíduo obeso, associamos o mesmo a um grupo ‘desfavorável’, sem procurar entender as causas de como esse indivíduo está se sentindo em relação à saúde e ao estado emocional.

Para que o padrão de beleza atual não nos deixe obcecados na busca do corpo perfeito, ou que não nos deixemos abalar pelos preconceitos, é fundamental estar sempre em dia com a saúde. Em alguns casos, a balança talvez não seja o mais importante, mas sim como as pessoas se sentem nas atividades diárias. O acompanhamento médico é indispensável para qualquer indivíduo, afinal, devemos unir atividade física e saúde para atingir maior eficácia na qualidade de vida.

É de extrema importância também que o ambiente para realizar as atividades físicas não seja rodeado de pré-julgamentos. Pelo contrário: é necessário que haja estímulo para sentir-se bem. Este é o objetivo inicial em que um professor de educação física deve estabelecer para qualquer aluno.

Andressa Rosolen é educadora física

Voltar