fbpx
Opinião

Final antecipada da Copa São Paulo

A Copa São Paulo de Futebol Júnior é sempre um bom programa para o mês de janeiro, época em que os times profissionais ainda estão em pré-temporada. E neste ano não é diferente, com muitos jovens promissores nos enchendo de esperança no futuro do nosso esporte preferido. Nesta quarta-feira (19), assisti com atenção aos jogos do Palmeiras e do São Paulo, que ganharam seus duelos e farão uma das semifinais da competição. A outra será entre Santos e América-MG.

O Alviverde entrou em campo mais cedo e passou como um trator pelo Oeste na Arena Barueri, na Grande São Paulo: 5×2, com mais um show do menino Endrick, autor de um gol antológico – uma bicicleta de fora da área. Um fenômeno, que está sendo sondado por Real Madrid, Manchester City, Manchester United e Barcelona, que já teria oferecido R$ 250 milhões pela cria da Academia de apenas 15 anos. Craque de bola!

Depois, foi a vez do São Paulo, em um duelo mais complicado com o Cruzeiro, no horrível gramando do Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul. O Cabuloso abriu o placar, mas o Tricolor virou e se classificou com 2×1. Além da tensão da partida eliminatória, o jogo ainda teve de ser paralisado por duas vezes, devido a quedas de energia elétrica no estádio do Azulão, o que fez o jogo terminar somente depois da meia noite.

Agora, os dois times paulistas se enfrentam na semifinal, o que dá a certeza de que teremos um finalista da cidade na decisão do dia 25 de janeiro, data de aniversário de São Paulo. O Choque-Rei será neste sábado (22), mas ainda sem lugar e horário definidos. A FPF (Federação Paulista de Futebol), organizadora do evento, irá divulgar oficialmente sua decisão ao longo desta quinta-feira (20).

Como no Estado não se pode fazer clássico com duas torcidas, a tendência é que a FPF dê o mando de jogo para o Tricolor pela melhor campanha até o momento. Assim, o clássico teria somente torcedores do São Paulo. O time do Morumbi, comandado pelo ex-camisa 10 Alex, venceu até agora os seus seis compromissos na Copa São Paulo, enquanto o Palmeiras ganhou cinco jogos e empatou um – 1×1 contra o Água Santa, na primeira fase.

É uma decisão muito difícil de apontar um favorito. Os dois clubes vêm de uma temporada vencedora, com várias conquistas na base e muitos talentos. Para o Tricolor, uma vitória seria a manutenção do objetivo do tetracampeonato. Já o Palmeiras busca um título inédito em sua história. O Verdão, atual pentacampeão paulista no Sub-20, conquistou somente a Supercopa, lá em 1995. Final contra o próprio São Paulo, em um duelo que ficou marcado pela batalha campal entre as duas torcidas.

Esse triste episódio, aliás, foi o início do fim da permissão que as organizadas tinham de entrar com bandeiras com mastro (ou bambus) nos estádios. Depois dessa tragédia, que culminou com uma morte, o Ministério Público determinou a extinção das duas torcidas envolvidas (Mancha Verde e Independente), que voltariam mais tarde após manobradas jurídicas. Mas hoje os tempos são outros e esperamos paz no estádio de muita bola na rede numa semifinal de arrepiar.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar