fbpx
Opinião

Fenômeno

*Capa: ADH 15 de Piracicaba

Conheci essa menina durante o treino de minha filha, Julia, no Projeto Handebol do Futuro, da Associação Desportiva de Handebol 15 de Piracicaba, há cerca de um ano. Elas treinavam juntas lá na quadra do Parque Prezotto, sede do projeto. Logo percebi que era um fenômeno. Não sou especialista neste esporte, mas fiquei impressionado com o talento. Estou falando de Maria Eduarda Pereira, a Duda, revelação da categoria infantil do time comandado pelo professor José Batista, que é um ‘braço’ do projeto. Com apenas 12 anos, o nível dela era tão destacado em relação às demais meninas que a permitia atuar tranquilamente no sub-15, ou seja, uma categoria acima, com jogadoras três anos mais velhas.

Em conversas informais com os pais dela, João Batista e Daniela, descobri que, quando começou os treinamentos, com apenas 5 anos de idade, os técnicos já notavam um talento precoce na Duda. E estavam certos, pois, hoje, essa piracicabana é uma realidade e aposta como um futuro talento deste esporte. Digo isso porque, após sete anos de muito trabalho e dedicação, Duda conseguiu no início de 2020 dar um salto enorme rumo à carreira profissional. Aprovada nos testes do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo, a menina de Santa Teresinha vai agora brilhar nas quadras do tradicional clube da Zona Oeste paulistana. Merecidíssmo.

Uma das características mais marcantes dela, além do talento natural, é concentração nos treinos e nos jogos. Nota-se que a Duda quer sempre aprender; mesmo quando atuava no time sub-12, com atletas iniciantes, estava muito focada. Disciplinada, também sempre ouvia com muita atenção as orientações de seus técnicos, Zé Batista, Andressa e Vinícius. Em minha análise, seu estilo de jogo lembra muito ao da xará, a armadora Eduarda Amorim, brasileira campeã mundial com a seleção em 2013 e eleita a melhor do mundo em 2014. É um estilo agressivo, que parte para cima da marcação rumo ao gol, quase sempre da faixa central da quadra.

As Dudas, a estrela e a revelação piracicabana, têm em comum o instinto goleador. O futuro não pertence a nós, pertence a Deus. Por isso, não temos condições de afirmar o que acontecerá nos próximos anos. Porém, podemos ter a esperança de que muitas boas coisas aconteçam na carreira da Duda, pois tem talento de sobra e uma família que a apoia incondicionalmente. Além, é claro, de uma cidade que torce para o sucesso de uma filha ilustre.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar